• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Tereza Cristina: economia precisa melhorar para preço de alimentos cair

A ministra da Agricultura ressaltou, porém, que há países que, além de inflação, não têm garantia de abastecimento, como o Brasil tem
 (Getty Images/Andre Coelho/Bloomberg)
(Getty Images/Andre Coelho/Bloomberg)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 22/12/2021 16:29 | Última atualização em 22/12/2021 17:55Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta quarta-feira, 22, sobre o alto preço dos alimentos, que, apesar de o Brasil não ter problema de abastecimento, "algumas coisas na economia precisam melhorar para que caia a inflação e o preço dos alimentos", embora não tenha especificado o que precisaria melhorar. Ela participou de entrevista ao vivo no programa Fábio Souza, de Goiás. "Vi, ontem, que a inflação dos alimentos vai chegar em torno de 7%, o que é alto."

Ela ressaltou, porém, que há países que, além de inflação, não têm garantia de abastecimento, como o Brasil tem.

Tereza Cristina lembrou ainda que a inflação alimentar ocorre "no mundo todo". "A pandemia provocou um desarranjo comercial e fez com que os preços dos alimentos subissem", continuou. "Tivemos alta em insumos que são importantíssimos para produzir, como fertilizantes e defensivos. Isso fez com que os custos (de produção) aumentassem, não só aqui, como no mundo."

Para ela, o mundo ainda atravessa "um momento difícil" por causa da pandemia de covid-19. "A gente achava que já ia estar no pós-pandemia e agora vemos o vírus continuando", disse ela, em relação à nova variedade ômicron da covid-19, que tem se espalhado pelo mundo.