Tereza Cristina diz querer ter Plano Safra 2021/22 melhor do que o de 2020/21

A ministra reforçou que as contrações de crédito dentro da safra 2020/21 já somam R$ 135,4 bi, 17% a mais do que o volume no mesmo período da safra passada

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta terça-feira, 23, que pretende lançar um Plano Safra 2021/22 "melhor" que o apresentado para a safra 2020/21. "Vamos fazer o possível para que este Plano Safra (2021/22) atenda o maior número de produtores, mantendo o foco do ministério no pequeno e médio produtor", disse Tereza Cristina em evento online de lançamento oficial do custeio antecipado da safra 2021/22 do Banco do Brasil, sem detalhar de que forma o ministério pretende incrementar o Plano Safra 2021/22.

Na ocasião, a ministra reforçou que as contrações de crédito dentro da safra 2020/21 (entre julho de 2020 e janeiro deste ano) já somam R$ 135,4 bilhões, 17% a mais do que o volume contabilizado em igual período da safra passada.

Do montante, R$ 72,7 bilhões (13%) se destinaram ao custeio da produção. Tereza Cristina mencionou que os recursos do programa ABC, voltados a atividades de recuperação de áreas e redução de emissões de gases de efeito estufa) já terminaram, mas celebrou que mais de 50 milhões de hectares tenham sido recuperados, entre pastagens degradadas e áreas em que foi adotado o sistema Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF).

"Sustentabilidade é um tema importantíssimo hoje e não pode estar fora do (radar do) produtor rural brasileiro", comentou a ministra da Agricultura.

Na cerimônia do BB, ela voltou a falar da necessidade do setor de contar com "cada vez de mais parceiros" de crédito rural "acreditando no nosso negócio", assim como "crédito novo".

Destacou ainda a importância da oferta de recursos para produtores anteciparem a compra de insumos para a próxima safra com preços mais baixos agora.

Como nesta época um grande número de caminhões segue das regiões produtoras para os portos do País, os veículos podem retornar com fertilizantes e outros insumos para as áreas de produção, diminuindo o custo do frete para a indústria de insumos e, consequentemente, para os produtores.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.