Selic cai, mas Brasil ainda é o maior pagador de juros do mundo

Para tirar o país do topo do ranking, o Banco Central precisaria levar a Selic a 8% ao ano

São Paulo – O Banco Central (BC) reduziu pela terceira vez consecutiva a taxa básica de juros da economia brasileira. A queda, porém, não foi suficiente para tirar o Brasil do primeiro lugar no ranking dos maiores pagadores de juros reais do mundo.

Segundo levantamento do estrategista-sênior da corretora do Banco Cruzeiro do Sul, Jason Vieira, se o país quiser deixar a colocação ingrata, seria preciso cortar a Selic em 3,5 pontos percentuais, levando a taxa a 8%.

Com a Selic atual, a taxa brasileira, descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses é de 5,1%. Assim, o Brasil segue líder disparado do ranking, com juros reais que são praticamente o dobro do segundo colocado, a Hungria. (Veja infográfico com os juros reais nas principais economias).

No levantamento feito pela Cruzeiro do Sul Corretora, é possível observar também que, por causa da crise internacional, vários países estão com juro real negativo. A média dos 40 países pesquisados é de -1%.

Posição País Taxa real
Fonte: Cruzeiro do Sul Corretora
Brasil 5,1%
Hungria 2,5%
Indonésia 1,5%
Chile 1,5%
México 1,3%
China 1,0%
Rússia 1,0%
Austrália 1,0%
Colômbia 0,7%
10º Taiwan 0,6%
11º Japão 0,3%
12º Polônia 0,2%
13º Suíça 0,1%
14º Israel 0,0%
15º Malásia -0,4%
16º África do Sul -0,5%
17º Coreia do Sul -0,6%
18º Argentina -0,6%
19º Tailândia -0,7%
20º Filipinas -0,7%
21º Suécia -0,9%
22º França -1,0%
23º Alemanha -1,1%
24º Holanda -1,3%
25º Espanha -1,6%
26º Grécia -1,7%
27º Dinamarca -1,8%
28º Turquia -1,8%
29º República Tcheca -1,8%
30º Canadá -1,8%
31º Áustria -2,1%
32º Itália -2,1%
33º Índia -2,3%
34º Bélgica -2,5%
35º Portugal -2,8%
36º Estados Unidos -3,1%
37º Inglaterra -4,3%
38º Hong Kong -5,0%
39º Cingapura -5,1%
40º Venezuela -7,4%
- Média dos 40 países -1,0%

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.