A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Saldo de financiamento de veículos recua 5,6%, diz Anef

Segundo a associação, o cenário do crédito para financiamento de veículos foi marcado pelas incertezas da economia nacional no ano passado,

São Paulo - O saldo de financiamento de veículos recuou pelo segundo ano consecutivo e ficou em R$ 228,6 bilhões em 2013, queda de 5,6% sobre 2012.

A Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef) afirma que a redução no saldo das carteiras de Crédito Direto ao Consumidor (CDC) e leasing não é resultado de um número menor de propostas aprovadas, mas de uma diminuição do valor médio dos financiamentos.

O motivo apontado são as promoções de taxa zero. Segundo a associação, o cenário do crédito para financiamento de veículos foi marcado pelas incertezas da economia nacional no ano passado, quando o número de licenciamentos no país apresentou retração de 0,9%.

O dado positivo divulgado pela Anef nesta quinta-feira, 20, é da queda de 1,2% na inadimplência em 2013. O índice de atrasos no pagamento acima de 90 dias na modalidade CDC foi de 5,2% em relação a 2012.

"Esta é a boa notícia de 2013 e pode desenhar uma tendência para 2014, ao menos para o setor de crédito automotivo", afirma o presidente da Anef, Décio Carbonari.

"A queda dos índices de inadimplência confirma o acerto na correção das políticas de crédito das instituições, o que poderá permitir ofertas compatíveis a este novo cenário."

As taxas de juros oscilaram pouco ao longo do ano passado. Em dezembro de 2013, a ponderação média das taxas cobradas pelas associadas da Anef foi de 1,27% ao mês (16,35% ao ano). Os números dos bancos de montadoras, segundo a associação, são menores que os do varejo: no mercado, as taxas médias ficaram em 1,62% ao mês (21,3% ao ano).

Em 2013, a principal forma utilizada para o pagamento dos 3,576 milhões de automóveis e comerciais leves novos foi o financiamento pelo CDC (53%). O pagamento à vista aparece em segundo lugar (37%), seguido por consórcios (8%) e leasing (2%).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também