Receita: Desempenho da atividade econômica influenciou arrecadação

Chefe do departamento de estudos tributários e aduaneiros da Receita Federal destacou o desempenho positivo da indústria e do comércio

Brasília - O chefe do departamento de estudos tributários e aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, comentou nesta terça-feira, 25, que a arrecadação de R$ 105,659 milhões em março, com alta real de 3,95% em relação ao mesmo mês do ano passado, decorreu principalmente do desempenho da atividade econômica.

"A indústria e o comércio têm tido desempenho positivo. Apenas o setor de serviços vem se recuperando com menos intensidade. Foi o último setor a entrar na crise, agora é o último a sair da recessão. Essa recuperação mais lenta também impacta na arrecadação", detalhou.

Segundo ele, o desempenho mais fraco do setor de serviços é notado na arrecadação do Imposto de Renda das empresas (IRPJ) que declaram pelo lucro presumido. Essas receitas caíram 5,82% na comparação com março do ano passado.

Por outro lado, ele destacou o crescimento desta de 7,05% em março nas receitas com o IRPJ e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) pela estimativa mensal. "Isso é um indicador positivo para a arrecadação", avaliou.

Malaquias acrescentou que, sem os efeitos de receitas não recorrentes, como o Refis, a arrecadação total ainda teria crescido 2,16% em março. "A arrecadação federal está bastante aderente com a evolução da economia", completou.

Já as receitas previdenciárias caíram 0,53% em março. "Apesar de estar aumentando o número de postos formais de trabalho, a massa salarial está caindo porque os salários praticados neste ano estão menores que os do ano passado. O crescimento do emprego não se dá da mesma forma na arrecadação previdenciária", concluiu.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.