Queremos texto da PEC para iniciar tramitação no início da próxima semana, diz Wellington Dias

Segundo ele, a equipe está trabalhando para ter o máximo de entendimento até segunda-feira, 21
Dias: "Certamente haverá um plano para cortes de despesas, de controle de despesas como de pessoal, de custeio, de várias outras despesas" (Leandro Fonseca/Exame)
Dias: "Certamente haverá um plano para cortes de despesas, de controle de despesas como de pessoal, de custeio, de várias outras despesas" (Leandro Fonseca/Exame)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 17/11/2022 às 06:57.

O senador eleito Wellington Dias (PT-PI), responsável pelas discussões orçamentárias da equipe de transição, afirmou na noite desta quarta-feira, 16, que espera que o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) negociada para viabilizar promessas de campanha do PT esteja pronto para iniciar tramitação no Senado no início a próxima semana. Segundo ele, a equipe está trabalhando para ter o máximo de entendimento até segunda-feira, 21.

A equipe do governo de transição, coordenada pelo vice-presidente eleito Geraldo Alckmin, apresentou hoje uma sugestão de texto ao presidente da Câmara, Arthur Lira, e a senadores. Os senadores devem discutir a proposta internamente e apresentar um texto, cuja primeira assinatura e autoria deverá ser do relator-geral do Orçamento de 2023, senador Marcelo Castro (MDB-PI).

LEIA TAMBÉM: PEC da Transição: impacto chega a R$ 197 bi com novos gastos fora do teto, além do Bolsa Família

Cortes

Dias também declarou que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva tem "muita responsabilidade" com as contas públicas" e sinalizou que "com certeza" haverá no novo governo petista um plano de corte de despesas com pessoal e custeio.

"Certamente haverá um plano para cortes de despesas, de controle de despesas como de pessoal, de custeio, de várias outras despesas, na perspectiva de se ter medidas que vão trazer o endividamento está se aproximando de 90% do PIB para um patamar menor", disse em entrevista coletiva.

A equipe de transição apresentou hoje a proposta de Proposta de Emenda à Constituição que viabiliza o governo eleito a cumprir promessas de campanha e retira os custos do programa Bolsa Família do teto de gastos. "O que estamos tratando neste instante aqui é somente emergencial, o que precisamos para não levar o País à completa paralisação, disse, citando que estão "trabalhando com muita responsabilidade."

VEJA TAMBÉM: