Produção industrial na China desacelera, mas PIB deve crescer de 8% a 9% este ano

PMI industrial chinês cai pelo segundo mês consecutivo. Ainda assim, país deve liderar recuperação econômica global na pandemia

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da China desacelerou de 51,3 em janeiro para 50,6 em fevereiro, a pior marca em nove meses, informaram a IHS Markit e a Caixin neste domingo. Quando acima de 50 pontos, o indicador representa expansão da atividade em relação ao mês anterior.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor

O resultado veio abaixo da mediana de 51,0 da expectativa dos economistas entrevistados pelo jornal The Wall Street Journal, com o Ano Novo Lunar reduzindo a expansão e demanda das fábricas chinesas, segundo o agência de estatísticas. É o segundo mês seguido de contração no indicador, após o governo da China sustentar a indústria local para evitar um impacto da crise do novo coronavírus.

Mesmo assim, o Produto Interno Bruto (PIB) da China pode avançar entre 8% e 9% em 2021 à medida que continua a se recuperar da pandemia de Covid-19, disse Liu Shijin, assessor do Banco do Povo da China, na sexta-feira 26 de fevereiro.

Essa velocidade de recuperação não significaria que a China voltou a um período de "alto crescimento", disse Liu, já que ela sairia de uma base baixa alcançada em 2020, quando a economia chinesa cresceu 2,3%.

Analistas do HSBC projetaram esta semana que a China crescerá 8,5% este ano, liderando a recuperação econômica global diante da pandemia.

Se o crescimento médio do PIB em 2020 e 2021 estiver em torno de 5%, esse seria um resultado "nada ruim", disse Liu, falando em uma conferência online.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.