A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Produção de aço de província de Hebei cai 5% em outubro

Usinas reduziram operações antes de suspensões obrigatórias de atividade determinadas durante a conferência da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico

Pequim - A produção de aço de Hebei, maior província produtora da liga na China, caiu 5 por cento em outubro ante setembro, com usinas reduzindo operações antes de suspensões obrigatórias de atividade determinadas durante a conferência da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), em Pequim.

O setor siderúrgico de Hebei, normalmente responsável por cerca de um quarto da produção de aço da China, produziu 14,49 milhões de toneladas de aço bruto no mês passado, segundo a agência nacional de estatísticas. O volume reduziu a participação da província a 21,5 por cento do total.

A produção chinesa de aço bruto por dia caiu 3,3 por cento em outubro, alcançando 2,18 milhões de toneladas, ritmo mais fraco do ano.

Alguns membros da indústria esperavam que a queda na produção, direcionada a garantir uma melhora na qualidade do ar durante a conferência da Apec, poderia ajudar a reduzir o quadro de excesso de oferta da indústria e a apoiar os preços.

Entretanto, os produtores em outras regiões da China aceleraram atividade. A província de Jiangsu elevou a produção em 4,5 por cento no mês para 8,49 milhões de toneladas. Nos 10 primeiros meses do ano, a produção da província costeira subiu 9,3 por cento.

Maiores quedas na produção de Hebei são esperadas para este mês, com dezenas de usinas recebendo ordens para suspender operações completamente durante 7 a 12 de novembro, durante a reunião da Apec em Pequim.

Hebei, que abriga sete das 10 cidades chinesas com maiores níveis de poluição do ar, está sendo pressionada para reduzir o uso de carvão e cortar capacidade industrial poluidora, incluindo de aço.

A província tem meta de cortar a capacidade siderúrgica em 60 milhões de toneladas entre 2013 e 2017 e também lançou plano para realocar 5 milhões de toneladas de capacidade produtiva para outras regiões até 2017.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também