Por crise energética, governo da Espanha reduz IVA do gás de 21% a 5%

Em entrevista à Cadena SER o líder afirmou que a medida será tomada em consonância com a política que o governo vem adotando no atual cenário
Segundo ele, a redução irá beneficiar a "classe média trabalhadora ao mesmo tempo em que é feita uma distribuição equitativa" (Blazquez Dominguez/Getty Images)
Segundo ele, a redução irá beneficiar a "classe média trabalhadora ao mesmo tempo em que é feita uma distribuição equitativa" (Blazquez Dominguez/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 01/09/2022 às 09:50.

O presidente de governo da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou nesta quinta-feira que o país irá reduzir o imposto sobre valor agregado (IVA) sobre o gás no país de 21% para 5%, visando a crise de energia que assola a Europa. Em entrevista à Cadena SER o líder afirmou que a medida será tomada em consonância com a política que o governo vem adotando no atual cenário.

Segundo ele, a redução irá beneficiar a "classe média trabalhadora ao mesmo tempo em que é feita uma distribuição equitativa", já que o governo também está planejando aumentar impostos de grandes empresas de energia, estas que se beneficiam do atual cenário, afirmou. A redução do IVA será aplicada a partir de outubro e durará até o fim do ano, visando o inverno no hemisfério norte.

Enquanto isso, Sánchez busca aumentar o fornecimento de gás ao país. Nesta semana, o presidente visitou o chanceler federal da Alemanha, Olaf Sholz, ocasião em que ambos discutiram a construção de um gasoduto que passe pela Europa Central e ligue os dois países. Até o momento, a França mostrou reticências com a proposta, mas o governo de Paris deu indicações de poderá avaliar a obra.

A Rússia iniciou nesta quarta-feira uma suspensão de três dias dos fluxos de gás para a Europa por meio do gasoduto Nord Stream 1. A estatal russa Gazprom atribui a interrupção a trabalhos de manutenção, mas há suspeitas de que Moscou estaria retaliando os europeus pelas sanções que sofreu após a invasão da Ucrânia.

Veja também: 

Mudanças climáticas trarão prejuízos ao planeta até o final do ano, diz ONU

Navio de Singapura encalha no Canal de Suez, no Egito