Plano de aumentar produção de petróleo deprecia Opep, diz Irã

O Irã criticou a Arábia Saudita por elevar a produção de petróleo por pressão dos EUA, depois que a organização aprovou o aumento da produção mundial

São Paulo - O Irã criticou o plano da Arábia Saudita de elevar a produção de petróleo e a pressão dos Estados Unidos sobre Riad, dizendo que isso violou a decisão da Opep na semana passada e depreciou o grupo de produtores.

A Opep e um grupo de países aliados concordaram no sábado em retornar a 100 por cento de conformidade com cortes de produção de petróleo previamente acordados, após meses de subprodução por países da Opep, incluindo Venezuela e Angola.

O governador iraniano da Opep, Hossein Kazempour Ardebili, reagiu a notícias de segunda e terça-feira de que a Arábia Saudita elevaria a produção em julho para 11 milhões de bpd, acima da meta da Opep de 10,058 milhões de bpd.

Na segunda-feira, o secretário de Energia dos EUA, Rick Perry, disse que o acordo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo pode não ser suficiente para aliviar o mercado de petróleo.

"O Departamento de Estado diz que é pouco e a Arábia Saudita diz que produzirá 11 milhões de bpd em julho. Lamento dizer que os dois estão ridicularizando nossa organização", disse Kazempour à Reuters.

O ministro da Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, disse que o acordo da Opep implica uma realocação indireta de produção extra de países incapazes de produzir mais petróleo para aqueles, como os seus, que são capazes de fazê-lo. O Irã discorda fortemente.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.