Economia

Pela 1ª vez em 33 meses, construção civil criou empregos em julho

Para o ministro do Trabalho, o indicador reforma a percepção de que consolidação da trajetória de recuperação do mercado de trabalho

Construção civil: Nogueira comentou que a construção civil é um dos segmentos que indicam que o consumidor já tem maior poder de compra (iStock/Thinkstock)

Construção civil: Nogueira comentou que a construção civil é um dos segmentos que indicam que o consumidor já tem maior poder de compra (iStock/Thinkstock)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de agosto de 2017 às 17h16.

Última atualização em 9 de agosto de 2017 às 17h21.

Brasília - O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, comemorou a criação de 724 empregos no setor da construção civil no mês passado.

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostrou o primeiro resultado positivo após 33 meses consecutivos de fechamento do número de vagas no setor.

Para o ministro, o indicador reforma a percepção de que consolidação da trajetória de recuperação do mercado de trabalho.

Nos meses anteriores, técnicos do Ministério do Trabalho indicavam a expectativa de reação do emprego na construção aconteceria no decorrer do segundo semestre.

Nogueira comentou que a construção civil é um dos segmentos que indicam que o consumidor já tem maior poder de compra.

Para o ministro, iniciativas como a liberação das contas inativas do FGTS permitiram aos brasileiros quitar dívidas e, assim, reduzir o endividamento. Esse fenômeno, diz o ministro, o que abre espaço para a tomada de crédito.

Acompanhe tudo sobre:CagedConstrução civilEmpregos

Mais de Economia

Argentina volta a ter alta de inflação em junho; acumulado de 12 meses chega a 271,5%

Com alíquota de 26,5%, Brasil deve ter um dos maiores IVAs do mundo; veja ranking

Haddad declara ser favorável à autonomia financeira do Banco Central

Dívida dos estados: projeto apresentado por Pacheco precisa passar por revisão, diz Haddad

Mais na Exame