Economia

Oposição ameaça barrar Previdência na CCJ se dados não forem divulgados

Deputados querem detalhes dos impactos fiscais de cada ponto da PEC da Reforma da Previdência

Votação do parecer da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça deve acontecer a partir das 14h desta terça-feira, 23 (Alex Ferreira-Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

Votação do parecer da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça deve acontecer a partir das 14h desta terça-feira, 23 (Alex Ferreira-Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 22 de abril de 2019 às 16h16.

Última atualização em 22 de abril de 2019 às 16h56.

Brasília — Enquanto o governo negocia alterações no parecer da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, a oposição vai tentar impedir a votação prevista para esta terça-feira, 23, exigindo do governo a divulgação dos dados detalhados que embasam a proposta. Além disso, parlamentares contrários às mudanças apresentadas pelo governo avaliam pedir uma nova fase de discussões se o parecer do relator Marcelo Freitas (PSL-MG) for alterado, o que demandaria mais tempo de análise.

"Nós podemos exigir que não se vote nada. Ou o governo recua ou não deixaremos essa sessão prosseguir amanhã (terça)", disse ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o deputado José Guimarães (PT-CE). "O princípio da transparência pública não pode permitir isso (a votação)", declarou, ao cobrar uma divulgação dos dados desagregados que embasam a proposta. O governo promete a divulgação das informações detalhadas na comissão especial da Câmara, a ser instalada após a votação na CCJ.

Antes da sessão da comissão, agendada para as 14h desta terça, 23, a oposição discutirá a possibilidade de pedir uma nova rodada de discussão se um novo parecer for apresentado, arrastando o andamento da reforma no colegiado. Guimarães disse acreditar que há uma brecha para a estratégia. "Isso vamos discutir amanhã (terça)".

A Rede anunciou que vai entrar com uma ação na Justiça Federal pedindo a abertura dos dados. O PDT, por sua vez, avalia entrar com uma ação judicial contra o sigilo das informações da reforma da Previdência, conforme apurou o Broadcast Político com fontes do partido. A legenda também cobra o detalhamento dos dados que levaram o governo a propor a reforma e a estimar uma economia de R$ 1 trilhão com as mudanças no sistema de aposentadorias.

Parecer

Para que a votação do parecer ocorra na sessão desta terça-feira, integrantes do Centrão seguem em conversas com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, sobre alterações no texto. A equipe econômica garante que as mudanças não vão desidratar o impacto fiscal da reforma.

Acompanhe tudo sobre:Câmara dos DeputadosGoverno BolsonaroReforma da Previdência

Mais de Economia

Lula afirma ter interesse em conversar com China sobre projeto Novas Rotas da Seda

Lula diz que ainda vai decidir nome de sucessor de Campos Neto para o BC

Banco Central aprimora regras de segurança do Pix; veja o que muda

Banco Central da China surpreende e corta suas principais taxas de juros

Mais na Exame