A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Novas licitações de petróleo e gás darão fôlego a empresas

A ANP informou que “não é parte do edital a análise da situação das empresas no mercado financeiro”

Brasília – A 11ª rodada de licitação de petróleo e gás permitirá que, com a conclusão do processo, as empresas habilitadas para explorar novos campos de petróleo recuperem seu portfólio de investimentos, amenizando os reflexos causados por cinco anos de ausência de licitações no setor. A avaliação é da superintendente de Promoção de Licitações da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Cláudia Rabello.

“O atual contexto da indústria do petróleo – de empresas enfrentando dificuldades – é um momento pontual. Muitos blocos arrematados na 11ª rodada vão trazer desenvolvimento e permitir que as empresas recuperem seu portfólio de investimentos. A ausência de licitações [a última foi feita em 2008] gerou impacto, mas com as novas elas estão adquirindo novas áreas e poços, para dividir os seus ovinhos nos cestos”, disse Cláudia Rabello, em audiência na Câmara dos Deputados.

O anúncio de novas descobertas representará “uma retomada para as empresas” e dará “novo fôlego a empresas que se encontram com alguma dificuldade, para partir para um movimento de melhora e recomposição dessa situação”, disse Cláudia, após deputados questionarem a participação da empresa OGX, do empresário Eike Batista, que teve grande desvalorização no mercado financeiro.

A empresa arrecadou diversos blocos durante a licitação.

A superintendente da ANP informou que “não é parte do edital a análise da situação das empresas no mercado financeiro”, mas ressaltou que isso poderá ser sugerido pelos parlamentares durante o período de consulta pública dos outros editais.

Até o momento, não há qualquer descumprimento da OGX em relação ao que está previsto na fase que antecede a assinatura dos contratos – quando as empresas têm de fazer uma série de demonstrações documentadas de que têm condições técnicas e financeiras para o empreendimento.

O prazo final da OGX para a entrega de documentos é 30 de agosto, e a data final para assinatura é 17 de setembro. “Acredito que ela [OGX] vá cumprir os compromissos. Não há dado concreto de que não vá cumprir”, disse Cláudia.

Perguntada se seria possível a OGX vender ativos recém-arrematados nos leilões, Cláudia Rabello disse que, “caso a empresa tenha o objetivo de fazer cessão de direitos” sobre a exploração de poços arrematados a outras empresas, só poderá fazê-lo após a assinatura de contratos.

Ao final da audiência, Cláudia disse que, ainda hoje, a ANP deve aprovar o primeiro edital de licitação do pré-sal no modelo de partilha.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também