Desemprego na zona do euro é o maior desde 1998

O desemprego nos 17 países do bloco subiu para 10,4% em dezembro, taxa com ajustes sazonais igual à leitura revisada de novembro
É o maior nível desde junho de 1998, antes da introdução do euro, em 1999, segundo a Eurostat (Ralph Orlowski/Getty Images)
É o maior nível desde junho de 1998, antes da introdução do euro, em 1999, segundo a Eurostat (Ralph Orlowski/Getty Images)
Por Robin EmmottPublicado em 31/01/2012 07:37 | Última atualização em 31/01/2012 07:37Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Bruxelas - O desemprego na zona do euro alcançou o maior nível desde a introdução da moeda única, segundo dados divulgados nesta terça-feira, um dia após a promessa dos líderes da União Europeia de se concentrar em criar vagas para tentar estimular a lenta economia do continente.

O desemprego nos 17 países do bloco subiu para 10,4 por cento em dezembro, taxa com ajustes sazonais igual à leitura revisada de novembro, informou a agência de estatísticas Eurostat.

É o maior nível desde junho de 1998, antes da introdução do euro, em 1999, segundo a Eurostat.

Os números mostraram que mais 20 mil pessoas ficaram sem trabalho em dezembro contra o mês anterior, levando o total de desempregados para 16,5 milhões de pessoas. A taxa subiu de forma regular em 2011, com a estagnação do crescimento e a possibilidade de uma recessão.

Em outro sinal de divergência entre os destinos econômicos no bloco, a taxa de desemprego na Alemanha caiu a 6,7 por cento em janeiro, a menor desde que os números para o país unificado começaram a ser publicados.

O desemprego na Espanha, por outro lado, atingiu um novo recorde de 22,9 por cento em novembro e dezembro.

Nas 27 nações da UE, o número de desempregados tem aumentado regularmente desde a mínima de 7,1 por cento em 2008, alcançando 9,9 por cento em novembro e dezembro - ou cerca de 23,6 milhões de pessoas.

Economistas dizem que a taxa da UE pode alcançar 11 por cento até meados deste ano.