A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Nobel de Economia minimiza risco de calote dos EUA

Para Robert Shiller, o maior problema hoje em dia é a crescente desigualdade nos Estados Unidos e no resto do mundo, que corre o risco de piorar

Um dos ganhadores do Nobel de Economia, Robert Shiller, premiado nesta segunda-feira junto com outros dois americanos, minimizou o risco de que os Estados Unidos possam cair em um default histórico de consequências caóticas.

"Acho que a crise será resolvida. Não veremos um default. E, se virmos, será por um dia ou algo assim, inclusive se for por mais tempo, não é o fim do mundo", assinalou.

Ele insistiu em minimizar a perspectiva de um calote histórico nos Estados Unidos e os efeitos econômicos graves como resultado de uma paralisia governamental parcial.

"Acho que provavelmente nada acontecerá de sério. Tudo deve sair bem", afirmou ainda.

Para Shiller, o maior problema hoje em dia é a crescente desigualdade nos Estados Unidos e no resto do mundo, que corre o risco de piorar.

"Deveríamos estar pensando sobre isso agora, não esperar que aconteça", afirmou, referindo-se a um plano de contingência para aumentar os impostos para os ricos se as coisas piorarem.

Indagado se tem alguma recomendação para Janet Yellen, a nova presidente do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, ele afirmou que não se atreve a dizer o que deve ser feito.

"Creio que ela tem muita experiência. Só posso dizer coisas gerais, que alguém em sua posição deve cuidar do bem-estar de todos".

O professor da Universidade de Yale contou ainda que estava saindo do chuveiro e ainda estava se vestindo quando o telefone tocou com a notícia de que havia ganhado o Nobel.

"Foi uma grande surpresa quando aconteceu. Com certeza, não esperava por isso", afirmou.

Shiller mencionou 22 coautores em todo o mundo que contribuíram para seu trabalho, e agradeceu a sua universidade, em geral, e a seu departamento em particular.

"Ainda não acredito. Estou certamente honrado. E estou começando a me perguntar como posso cumprir com todas as expectativas que agora as pessoas têm a meu respeito", concluiu.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também