Não há planos de afrouxar política agora, diz BC do Japão

O presidente do banco central do Japão disse que não tem planos de expandir estímulo monetário agora

Tóquio - O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, afirmou nesta sexta-feira que não tem planos de expandir o estímulo monetário agora, citando as fortes quedas dos custos do petróleo como responsáveis por manter a inflação ao consumidor distante da meta de 2 por cento do banco.

Embora tenha mantido sua visão otimista sobre a economia, Kuroda destacou sua resolução de afrouxar mais a política monetária se os riscos ameaçarem o cumprimento da meta do BC.

"A tendência dos preços está melhorando de maneira firme", disse Kuroda ao Parlamento, demonstrando esperança de que as receitas corporativas recordes e o mercado de trabalho mais apertado elevem os salários.

"Não tenho planos para mais afrouxamento monetário no momento. Mas estamos prontos para ajustar a política sem hesitação se houver qualquer mudança na tendência dos preços", completou.

A expectativa é de que o banco central japonês reduza suas projeções trimestrais de inflação e adie o momento em que a meta de preços deva ser atingida quando fizer suas revisões em 28 e 29 de janeiro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.