• AALR3 R$ 19,91 1.12
  • AAPL34 R$ 70,12 -4.47
  • ABCB4 R$ 16,55 -2.24
  • ABEV3 R$ 14,23 -3.39
  • AERI3 R$ 3,79 -2.57
  • AESB3 R$ 10,71 -0.93
  • AGRO3 R$ 30,68 -3.03
  • ALPA4 R$ 20,88 -2.84
  • ALSO3 R$ 19,40 -3.58
  • ALUP11 R$ 26,34 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,36 -3.28
  • AMBP3 R$ 31,06 2.47
  • AMER3 R$ 23,01 -0.04
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,51 -3.50
  • ARZZ3 R$ 81,99 -0.94
  • ASAI3 R$ 15,47 -2.27
  • AZUL4 R$ 21,23 -4.33
  • B3SA3 R$ 11,48 -3.53
  • BBAS3 R$ 35,83 -1.65
  • AALR3 R$ 19,91 1.12
  • AAPL34 R$ 70,12 -4.47
  • ABCB4 R$ 16,55 -2.24
  • ABEV3 R$ 14,23 -3.39
  • AERI3 R$ 3,79 -2.57
  • AESB3 R$ 10,71 -0.93
  • AGRO3 R$ 30,68 -3.03
  • ALPA4 R$ 20,88 -2.84
  • ALSO3 R$ 19,40 -3.58
  • ALUP11 R$ 26,34 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,36 -3.28
  • AMBP3 R$ 31,06 2.47
  • AMER3 R$ 23,01 -0.04
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,51 -3.50
  • ARZZ3 R$ 81,99 -0.94
  • ASAI3 R$ 15,47 -2.27
  • AZUL4 R$ 21,23 -4.33
  • B3SA3 R$ 11,48 -3.53
  • BBAS3 R$ 35,83 -1.65
Abra sua conta no BTG

Ministério da Economia mantém projeção de PIB e piora inflação para 2021

A perspectiva de alta no PIB segue sendo de 5,3%, enquanto a inflação deve terminar o ano em 7,9%
 (Reuters/Adriano Machado)
(Reuters/Adriano Machado)
Por ReutersPublicado em 16/09/2021 10:00 | Última atualização em 16/09/2021 10:00Tempo de Leitura: 2 min de leitura

 A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia piorou nesta quinta-feira suas projeções oficiais para a inflação neste ano e no próximo, ao mesmo tempo em que manteve sua estimativa para o crescimento da economia nos dois exercícios.

  • Vá além do básico e fique por dentro das principais análises econômicas. Assine a EXAME

A perspectiva de alta no Produto Interno Bruto (PIB) segue sendo de 5,3% este ano e de 2,5% no ano que vem. Para a inflação medida pelo IPCA, a estimativa subiu para 7,9% em 2021, de 5,9% antes, e 3,75% em 2022, contra 3,5% no boletim anterior, publicado em julho.

O centro da meta de inflação é de 3,75% neste ano e 3,5% no próximo, nos dois casos com margem de tolerância de 1,5 ponto para mais ou para menos.

Para o INPC acumulado neste ano --que serve de parâmetro para a correção do salário mínimo e de uma série de despesas previdenciárias no orçamento do ano que vem-- a conta foi a 8,4%, de 6,20% anteriormente. O Ministério da Economia já havia divulgado que cada 1 ponto de elevação no INPC implicava aumento de cerca de 8 bilhões de reais nas despesas públicas obrigatórias.