Mantega nega IOF sobre compra de moeda estrangeira

Rumores surgiram depois de o governo anunciar aumento do imposto para cartões de débito no exterior

	Dólar: ministro da Fazenda negou que o IOF incidirá para compra de moeda extrangeira 
 (Susana Gonzalez/Bloomberg)
Dólar: ministro da Fazenda negou que o IOF incidirá para compra de moeda extrangeira  (Susana Gonzalez/Bloomberg)
L
Laís Alegretti, Renata Veríssimo e Ricardo Della ColettaPublicado em 03/01/2014 às 14:02.

Brasília - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que não procede a informação de que o governo vai taxar com Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) a compra de moeda estrangeira. "O IOF não será colocado em outros itens. Não é um IOF generalizado", disse.

Depois de o governo anunciar, em dezembro, o aumento do IOF para cartões de débito no exterior, analistas passaram a ver a possibilidade de uma futura taxação para a compra de dólar em espécie no mercado de balcão das instituições financeiras. "Estamos colocando um tributo que tem objetivo regulatório, de evitar exageros", disse.

O ministro acrescentou que o objetivo é mais regulatório do que arrecadatório, já que a arrecadação ocorrerá, mas "não é o mais importante". Mantega citou que os gastos dos brasileiros no exterior estão "muito altos" (em 2013 somaram US$ 23 bilhões).

O ministro lembrou que o governo retirou o IOF de 1,5% que incidia na cessão de ações negociadas na bolsa brasileira para lastrear a emissão de American Depositary Receipts (ADR). "Até uma semana atrás tiramos o IOF de operações com ADR. Estamos tirando IOF e não colocando IOF", disse.