Londres cita o Brasil entre as ameaças econômicas para 2016

A Inglaterra afirma que seu país vive um ""coquetel perigoso de novas ameaças" em 2016, a principal delas a China, mas também o Brasil

O ministro britânico das Finanças, George Osborne, alertou nesta quinta-feira que a economia de seu país enfrenta um “coquetel perigoso de novas ameaças” em 2016, a principal delas a China, mas também o Brasil.

“Temos apenas sete dias do novo ano e já tivemos notícias preocupantes sobre quedas das Bolsas em todo o mundo, a desaceleração econômica na China, os problemas profundos na Rússia e Brasil”, deve afirmar Osborne durante esta quinta-feira em um discurso para empresários em Gales, que teve trechos antecipados.

“Ano passado foi o pior para o crescimento mundial desde o ‘crash’ e este ano começa com um coquetel perigoso de ameaças”, destaca o discurso.

O crescimento econômico no Reino Unido foi mais intenso nos últimos meses do que no restante dos países europeus, mas Osborne alertou contra a complacência e disse que a economia britânica não está “imune às ameaças externas”.

O Brasil está em recessão e enfrenta uma grave crise política com acusações de corrupção contra integrantes do governo e do Partido dos Trabalhadores, da presidente Dilma Rousseff, uma tempestade que parece difícil de superar em 2016.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.