Economia

Lira diz que Câmara trabalha para melhorar economia e defende aprovação da reforma tributária

A declaração ocorreu nesta quinta-feira, 12, em participação do Fórum Parlamentar sobre LiFE (Estilo de Vida para o Meio Ambiente), em Nova Délhi, na Índi

Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. (Marina Ramos/Agência Câmara)

Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. (Marina Ramos/Agência Câmara)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 12 de outubro de 2023 às 15h35.

Última atualização em 19 de outubro de 2023 às 14h46.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), destacou o papel da Casa em aprimorar a economia do Brasil com a aprovação do novo arcabouço fiscal e da reforma tributária - que segue em tramitação no Senado. Em sua avaliação, a aprovação da matéria no Congresso "permitirá um imenso salto de qualidade à economia brasileira".

A declaração ocorreu nesta quinta-feira, 12, em participação do Fórum Parlamentar sobre LiFE (Estilo de Vida para o Meio Ambiente), em Nova Délhi, na Índia.

Na viagem, o alagoano assumirá a presidência do P20, o grupo de presidentes de parlamentos do G20.

A fala de Lira sobre a reforma tributária, contudo, ocorre em meio a um cronograma apertado para concluir a votação da matéria neste ano, após o relator do texto no Senado, Eduardo Braga (MDB-AM), ter pedido adiamento.

A previsão agora é que o parecer seja apresentado no dia 24. A votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), por sua vez deve ocorrer somente em novembro.

Reforma na câmara

A reforma deve voltar para a Câmara, já que os senadores provavelmente aprovarão o texto com modificações em relação ao que passou pelo crivo dos deputados. A Casa comandada por Lira, contudo, está com a pauta congestionada.

No discurso desta quinta-feira, Lira comentou que o principal desafio da humanidade é encontrar "caminhos e soluções viáveis" para conciliar as demandas por crescimento econômico, inclusão social e proteção ambiental. "Essas são as três dimensões inseparáveis do desenvolvimento sustentável - objetivo tão nobre quanto complexo de ser alcançado", disse.

Em sua avaliação, o objetivo é ainda mais decisivo e difícil para os países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil. "Precisamos, todos, abraçar formas colaborativas no plano internacional para promover os objetivos de desenvolvimento sustentável em benefício de toda a humanidade, e não apenas dos privilegiados de sempre", afirmou.

Para isso, segundo o deputado, os parlamentos precisam "estar na vanguarda de todos esses esforços".

"Nossos Parlamentos devem ser vocais na reafirmação e implementação dos compromissos dos países desenvolvidos quanto ao financiamento da luta contra as mudanças climáticas", comentou o presidente da Câmara.

Lira citou a posição de destaque do Brasil nos diálogos internacionais sobre o meio ambiente e repetiu a prioridade da chamada "pauta verde" no Congresso Nacional.

De acordo com ele, há três temas que estão no horizonte da Câmara para apreciação no curto prazo: regulamentação do mercado de carbono; marco regulatório do aproveitamento energético offshore; e marco regulatório da transição energética com ênfase no uso de hidrogênio.

Em paralelo a essas iniciativas, Lira disse que o Parlamento brasileiro continua a trabalhar pela ampliação do uso de biocombustíveis sustentáveis.

"O Parlamento do Brasil já provou que deseja e sabe fazer a diferença nas discussões sobre desenvolvimento sustentável. Contem com o nosso apoio e empenho para avançarmos também no plano internacional", afirmou o presidente da Câmara.

Leia também:

Acompanhe tudo sobre:Arthur LiraCâmara dos DeputadosReforma tributária

Mais de Economia

‘Problema dos gastos no Brasil não é ter os pobres no Orçamento’, diz Simone Tebet

Plano Real, 30 anos: Gustavo Loyola e as reformas necessárias para o Brasil crescer

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Mais na Exame