• AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
  • AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
Abra sua conta no BTG

Lira: Congresso quer votar reformas tributária e administrativa em 2021

A aprovação das reformas tributária e administrativa ainda em 2021 também é defendido pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes
 (Agência Câmara/Michel Jesus)
(Agência Câmara/Michel Jesus)
Por Reuters, Estadão ConteúdoPublicado em 26/04/2021 10:48 | Última atualização em 26/04/2021 10:50Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Câmara dos Deputados e o Senado têm o compromisso de votar ainda neste ano as reformas tributária e administrativa, disse nesta segunda-feira o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), em sua conta no Twitter.

Entenda como as decisões da Câmara e do Senado afetam seus investimentos. Assine a EXAME.

"Vou coordenar pessoalmente e com os líderes da Casa os encaminhamentos para as tratativas da reforma tributária. Tivemos um atraso com o recrudescimento da pandemia mas a reforma administrativa, por exemplo, já começa a ser discutida com algumas audiências públicas", afirmou na rede social.

"Eu acredito que possamos votar as duas reformas este ano. Temos o compromisso das duas Casas de votar este ano as duas reformas. Procurarei o ministro Paulo Guedes para falar sobre a reforma tributária", acrescentou.

A aprovação ainda em 2021 das reformas tributária e administrativa também é defendido pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

A tramitação das duas matérias --naturalmente espinhosas por tratarem de interesses dos entes federados, no caso da tributária, e do funcionalismo público, na administrativa-- pode, no entanto, ser dificultada por causa da pandemia de Covid-19 e do calendário eleitoral do ano que vem.

Reforma tributária

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que, apesar de o recrudescimento da covid-19 no País ter causado um "pequeno atraso" no andamento da Reforma Tributária na Casa, espera até a próxima segunda-feira (3) fazer a leitura ou publicizar o relatório da proposta. Em entrevista à rádio Jovem Pan, Lira afirmou que para esta semana estão prevista "algumas reuniões" com o objetivo de traçar "encaminhamentos para começarmos tratativas da reforma tributária".

"Nós temos que ter um sistema tributário mais justo, onde quem ganha menos pague menos, quem ganhe mais pague mais e quem produz e gera emprego seja estimulado", defendeu nesta manhã. O presidente da Câmara disse também que irá procurar nesta tarde o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar do andamento da proposta.

No último sábado, 24, Lira já tinha informado, em publicação no Twitter, que a versão inicial do texto da reforma tributária seria divulgada no dia 3 de maio. "O Congresso não pode ficar prisioneiro da paralisia política das guerras legislativas. Mais do que nunca, temos de cumprir nosso dever com a sociedade. Como sinalização de que a política do cabo de guerra não vai alterar nossa missão, estaremos tornando pública na segunda-feira, dia 3 de maio, a versão inicial do texto da reforma tributária", escreveu Lira na ocasião.

CPI

Segundo avalia Lira, a CPI da Pandemia, instalada no Senado na última semana, pode atrapalhar o andamento da proposta tributária. "A CPI vai funcionar com 10% ou 15% dos senadores, mas vai fazer grande ocupação de espaço na mídia. Ocupando os órgãos do governo federal com informações, ocupando o Senado Federal com estruturas. Vai ocupar os governos de Estados e prefeituras." "É perda de tempo neste momento se instalar CPI porque o Congresso não é delegacia de polícia, é a Casa de Leis" afirmou Lira.