Leilão de transmissão de energia termina; Taesa leva 1 lote

Três lotes licitados tiveram apenas um lance, os deságios foram reduzidos, e um lote não recebeu nenhuma proposta

São Paulo - O último leilão de transmissão de energia de 2013 terminou sem disputas, sendo que os três lotes licitados tiveram apenas um lance, os deságios foram reduzidos, e um lote não recebeu nenhuma proposta.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o deságio médio do leilão foi de 5,64 por cento.

No lote A, venceu a Taesa ao oferecer um desconto de 4,76 por cento em relação à Receita Anual Permitida (RAP) máxima definida para o certame e garantir uma receita de 10,990 milhões de reais por ano, quando os empreendimentos entrarem operação. A empresa do grupo Cemig foi a única a oferecer lance pelo lote.

O lote A, composto pela linha de transmissão Itabirito 2-Vespasiano 2, de 85 quilômetros, em 500 kV, participou de dois leilões em 2012, sem receber propostas.

Para o leilão desta sexta-feira, o governo mudou o traçado da linha, contornando um parque ambiental, o prazo para entrada em operação subiu de 22 para 36 meses e a RAP para o lote também subiu. A linha é dedicada a reforçar atendimento à região metropolitana de Belo Horizonte.

O lote B do leilão de transmissão de energia terminou sem receber lances e não foi licitado. Esse lote era composto pela subestação 230/138 kV Jaru, em Rondônia, e resultaria na construção de um novo pátio de 138 kV para atendimento aos municípios de Machadinho do Oeste, Theobroma, Anary e Cojubin, que atualmente são atendidos por geração a diesel.

O Consórcio formado por Braxenergy Desenvolvimento de Projetos de Energia e LT Bandeirante Empreendimentos venceu a disputa pelo lote C do leilão, ao oferecer um desconto de 6 por cento em relação à Receita Anual Permitida (RAP) máxima definida para o certame e garantir uma receita de 16,04 milhões de reais por ano, quando os empreendimentos entrarem operação.


Os empreendimentos do lote C já participaram de leilões no passado, sem receber lances. Esse lote é composto por três linhas de transmissão de energia em 230 KV, no total de 316 quilômetros de extensão e uma subestação. Os empreendimentos passam por Maranhão, Piauí e Tocantins e vão aumentar a confiabilidade no atendimento dessas regiões.

O mesmo consórcio venceu também a disputa pelo lote D do leilão, ao oferecer um desconto de 6,1 por cento em relação à Receita Anual Permitida (RAP) máxima definida para o certame e garantir uma receita de 7,8 milhões de reais por ano, quando os empreendimentos entrarem operação.

O consórcio foi o único a apresentar proposta para o lote localizado no Ceará, que inclui a ICG Aracati, para conectar usinas eólicas e ainda é composto por uma linha e uma subestação de energia.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.