A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Investimento direto no Brasil soma US$ 2,493 bi em outubro

No mesmo período do ano passado, o montante havia sido de US$ 3,136 bilhões

Os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram 2,493 bilhões de dólares em outubro, informou nesta quinta-feira o Banco Central. No mesmo período do ano passado, o montante havia sido de 3,136 bilhões de dólares.

O resultado ficou abaixo das estimativas apuradas pelo Projeções Broadcast, que iam de 3,300 bilhões a 5,690 bilhões de dólares, com mediana de 4,000 bilhões — mesma projeção do Banco Central.

Acumulado

No acumulado do ano até outubro, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou 45,788 bilhões de dólares.

A estimativa do BC para este ano é de IDP de 55 bilhões de dólares. A projeção foi atualizada no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de setembro.

No acumulado dos 12 meses até outubro deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em 49,223 bilhões de dólares, o que representa 3,06% do produto interno bruto (PIB).

Investimento em ações

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou positivo em 796 milhões de dólares em outubro, informou o Banco Central. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido positivo em 2,759 bilhões. No acumulado do ano até outubro, o saldo ficou positivo em 6,219 bilhões de dólares.

Já o investimento líquido em fundos de investimento no Brasil ficou negativo em 141 milhões de dólares em outubro. No mesmo mês do ano passado, ele havia sido positivo em 150 milhões. Nos dez primeiros meses do ano, os fundos registram saídas líquidas de 441 milhões de dólares.

O saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em 802 milhões de dólares em outubro. No mesmo mês do ano passado, havia ficado positivo em 2,671 bilhões. No acumulado de 2021 até outubro, o saldo em renda fixa ficou positivo em 16,851 bilhões de dólares.

Taxa de rolagem

O Banco Central informou que a taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazos captados no exterior ficou em 161% em outubro. Esse patamar significa que houve captação de valor em quantidade suficiente para rolar compromissos das empresas no período. O resultado ficou acima do verificado em outubro do ano passado, quando a taxa havia sido de 84%.

De acordo com os números apresentados hoje pelo BC, a taxa de rolagem dos títulos de longo prazo ficou em 90% em outubro. Em igual mês de 2020, havia sido de 56%. Já os empréstimos diretos atingiram 191% no mês passado, ante 90% de outubro do ano anterior.

No acumulado do ano até outubro, a taxa de rolagem total ficou em 125%. Os títulos de longo prazo tiveram taxa de 104% e os empréstimos diretos, de 133% no período.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também