Acompanhe:

Investimento e consumo das famílias lideram crescimento

Sob a ótica da oferta, o destaque fica com o setor industrial, que tinha sofrido com a crise internacional

Modo escuro

Setor industrial está ampliando a capacidade de produção (.)

Setor industrial está ampliando a capacidade de produção (.)

L
Luís Artur Nogueira

Publicado em 8 de junho de 2010, 16h22.

São Paulo - A expansão dos investimentos medida pela Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) é a grande notícia divulgada nesta terça-feira (8) pelo IBGE. Houve crescimento de 7,4% no primeiro trimestre em relação ao quarto trimestre de 2009, e de 26% na comparação com o mesmo período do ano passado, a maior da série iniciada em 1995 (ver tabela baixo).

É importante alertar que os investimentos representam, no curto prazo, aumento de demanda, ou seja, eles ajudam a pressionar a inflação. Porém, a ampliação da oferta de bens no futuro depende da FBCF.

A constatação de que os empresários estão adquirindo máquinas e equipamentos para ampliar a produção emite um sinal de tranquilidade em relação à capacidade do setor produtivo de atender à demanda dos consumidores lá na frente. Segundo o IBGE, a taxa de investimento atingiu 18% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, superior ao índice do mesmo período do ano passado (16,3%). 

Outra destaque é o consumo das famílias, que cresceu pelo quinto trimestre consecutivo. É mais uma demonstração de que o mercado interno sustentou a economia brasileira durante a crise, graças à expansão da renda e do emprego.

Do lado da oferta, o setor industrial, que tinha sido o mais atingido pelas turbulências internacionais, lidera o crescimento, com alta de 4,2% no primeiro trimestre em relação ao quarto trimestre do ano passado, e de 14,8% na comparação com o mesmo período de 2009.

É consenso entre os analistas que a economia brasileira não conseguirá manter esse ritmo chinês nos próximos trimestres, devendo encerrar o ano com crescimento entre 5% e 7%. O dado do PIB já está sendo analisado com lupa pelos diretores do Banco Central, que se reúnem nesta terça (8) e quarta (9) para decidir o futuro da taxa báscia de juros, atualmente em 9,5% ao ano. 

Leia mais: Brasil não deve buscar crescimento chinês, diz professor da UnB

Leia mais: Crescimento dos investimentos alivia pressão inflacionária no futuro

Períodos (%) PIB Agro Indústria Serviço FBCF Consumo Famílias Consumo Governo
1º tri 2010 / 4º tri 2009 2,7 2,7 4,2 1,9 7,4 1,5 0,9
1º tri 2010 / 1º tri 2009 9 5,1 14,8 5,9 26 9,3 2
Acumulado quatro trimestres 2,4 -3,3 0 3,6 1,5 6 3,1
Valores correntes (R$ bilhões) 826,4 43,2 180,3 479,7 148,4 526,7 157,3

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
Elaboração: EXAME.com