Inadimplência das empresas cresce 7,3% em outubro

Trata-se da menor expansão desde fevereiro de 2018, quando o avanço havia sido de 6,7%

Um levantamento feito pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que o número de empresas inadimplentes cresceu 7,3 por cento no mês de outubro em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com o estudo, trata-se da menor expansão desde fevereiro de 2018, quando o avanço havia sido de 6,7 por cento. Em setembro, o aumento de empresas com o nome sujo foi 9,4 por cento.

Em uma análise regional, a alta foi puxada pelo Sudeste, que registrou aumento de 15,2 por cento no número de empresas inadimplentes na comparação anual. Nas demais regiões, as altas registradas foram: 2,54 por cento no Sul, 1,8 por cento no Centro-Oeste e 1 por cento no Nordeste. A única região a apresentar queda na inadimplência de empresas foi o Norte (-0,3 por cento).

A pesquisa revela ainda que o número de empresas que conseguiram quitar suas dívidas no acumulado de um ano apresentou alta de 7,95 por cento; maior que os 3 por cento observado em setembro deste ano.

No levantamento do número de empresas devedoras por ramo da economia foi constatado que o setor de serviços obteve a maior alta no mês de outubro, de 11,1 por cento. Na sequência destacam-se o segmento de comércio (5 por cento), seguido pela indústria (3,6 por cento). A agricultura apresentou queda no índice (-1,5 por cento).

Já a análise por setor credor – ou seja, para quem as empresas estão devendo – revela que o número de pendências ao setor de serviços foi o que mais cresceu na comparação anual, com alta de 6,3 por cento. Na sequência estão a indústria (3,8 por cento) e o comércio (1,3 por cento). As dívidas com o setor de agricultura caíram 1 por cento na variação anual.

O Indicador de Inadimplência das Empresas agrupa todas as informações disponíveis nas bases de dados da CNDL e do SPC Brasil. As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.