Importações chinesas registram queda de 18% em setembro

As importações chinesas em setembro totalizaram 924 bilhões de yuanes (146 bilhões de dólares), 17,7% a menos que no mesmo mês de 2014

As importações chinesas sofreram em setembro uma queda em ritmo anual de quase 18%, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira, que evidenciam os desafios da segunda maior economia mundial, cuja própria desaceleração derruba o preço das matérias-primas.

As importações chinesas em setembro totalizaram 924 bilhões de yuanes (146 bilhões de dólares), 17,7% a menos que no mesmo mês de 2014, anunciou a Alfândega do país asiático.

A queda superou as previsões dos analistas entrevistados pela Bloomberg News.

A China é o maior importador de bens do mundo, mas a desaceleração de sua economia reduziu a demanda global dos recursos primários que o país necessita para funcionar - como o ferro e o petróleo -, afetando os países produtores.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.