Economia

IBGE: taxa de desemprego sobe em 12 dos 27 estados no 1º trimestre

Taxa de desocupação no país foi de 12,2% no primeiro trimestre, enquanto taxa de informalidade ficou em 39,9% no mesmo período

Brasil: Em São Paulo, a taxa de desocupação aumentou de 11,5% no quarto trimestre de 2019 para 12,2% no primeiro trimestre deste ano. (Nay Jinknss/Getty Images)

Brasil: Em São Paulo, a taxa de desocupação aumentou de 11,5% no quarto trimestre de 2019 para 12,2% no primeiro trimestre deste ano. (Nay Jinknss/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 15 de maio de 2020 às 10h32.

Última atualização em 15 de maio de 2020 às 12h02.

A taxa de desocupação teve um avanço estatisticamente significativo em 12 das 27 Unidades da Federação na passagem do quarto trimestre de 2019 para o primeiro trimestre de 2020. Nos demais 15 estados, o o resultado foi considerado estatisticamente estável. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa de desocupação no total do País no primeiro trimestre foi de 12,2%, ante 11,0% no quarto trimestre de 2019. No primeiro trimestre do ano passado, a taxa de desocupação era de 12,7%.

No Estado de São Paulo, a taxa de desocupação aumentou de 11,5% no quarto trimestre de 2019 para 12,2% no primeiro trimestre deste ano.

No primeiro trimestre, as maiores taxas de desemprego foram observadas na Bahia (18,7%), Amapá (17,2%), Alagoas (16,5%) e Roraima (16,5%). Os menores resultados ocorreram em Santa Catarina (5,7%), Mato Grosso do Sul (7,6%) e Paraná (7,9%).

Informalidade

O Pará registrou a maior taxa de informalidade no primeiro trimestre de 2020, 61,4%. O segundo mercado de trabalho mais informal foi o do Maranhão, com 61,2%, segundo dados da Pnad Contínua.

A taxa de informalidade para a média do Brasil ficou em 39,9% no primeiro trimestre, o equivalente a 36,8 milhões de trabalhadores ocupados nessa condição.

O Estado com a menor taxa de informalidade foi Santa Catarina (26,6%), seguido pelo Distrito Federal (29,8%). No Estado de São Paulo, a taxa de informalidade média foi de 30,5% no primeiro trimestre do ano.

Acompanhe tudo sobre:BrasilDesempregoIBGE

Mais de Economia

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Lula afirma ter interesse em conversar com China sobre projeto Novas Rotas da Seda

Lula diz que ainda vai decidir nome de sucessor de Campos Neto para o BC

Banco Central aprimora regras de segurança do Pix; veja o que muda

Mais na Exame