Guedes diz considerar possível ainda este ano uma minirreforma tributária

Durante o seminário "Perspectivas econômicas do Brasil", promovido pela Arko Advice e o Traders Club, Guedes defendeu a ideia de uma reforma mais moderada no ano eleitoral
 (Marcos Corrêa/PR/Flickr)
(Marcos Corrêa/PR/Flickr)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 19/05/2022 15:04 | Última atualização em 19/05/2022 15:04Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O ministro da Economia, Paulo Guedes, considera possível fazer, ainda neste ano, uma "minirreforma" tributária que inclua uma redução mais tímida no Imposto de Renda e CSLL de empresas, além de taxação de lucros e dividendos e um novo programa de parcelamento de dívidas (Refis).

Durante o seminário "Perspectivas econômicas do Brasil", promovido pela Arko Advice e o Traders Club, Guedes defendeu a ideia de uma reforma mais moderada no ano eleitoral.

"Se não dá para fazer inteiro, pega pelo menos a parte das empresas, faz o Refis, lucros e dividendos e redução do imposto sobre empresas. Eu acho que dá. Faz mais moderada, em vez de 15% só 10% taxa sobre lucros e dividendos. Em compensação não dá para baixar o tributo sobre empresas de 34% para 26%, dá para 28%, 30%. Eu acho que há esperança", afirmou Guedes.

No evento, o ministro disse que, se o "outro lado" ganhar, a tributação sobre dividendos será maior, de 30%. O ministro também defendeu maior competição no mercado de capitais. "Na Bolsa, se quiser prosperar terá que democratizar acesso. Precisamos quebrar monopólios."

Geada pode ter efeito em inflação, diz presidente do BC

Deputados querem fixar ICMS em 17% para combustíveis e conta de luz

Guedes: 'Quem sabe se privatizar Petrobras, todo mundo vai ter petróleo?'