Economia

Guedes diz a investidores que haverá consenso para aprovar Previdência

No Fórum Econômico Mundial, em Davos, Bolsonaro não mencionou proposta de emenda constitucional em seu discurso

Paulo Guedes: Ministro da economia narrou as propostas para a economia durante evento em Davos (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Paulo Guedes: Ministro da economia narrou as propostas para a economia durante evento em Davos (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 22 de janeiro de 2019 às 17h54.

Davos - Enquanto o presidente da República, Jair Bolsonaro, ignorou a reforma da Previdência no discurso de abertura do Fórum Econômico Mundial, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tratou de transmitir uma mensagem forte aos investidores em encontro promovido pelo Itaú Unibanco. Guedes afirmou que haverá consenso no Congresso para aprovar a proposta de emenda constitucional.

Investidores que estiveram no almoço organizado pelo banco brasileiro comentaram que a palestra de Guedes "foi um show". "Durante 90 minutos, ele narrou com maestria os planos para a economia. Foi animador", disse um banqueiro, que também assistiu o discurso de Bolsonaro.

Na semana passada, assessores do governo, em Brasília, citavam o compromisso com a aprovação da reforma da Previdência como trunfo a ser usado por Bolsonaro no discurso inaugural de Davos.

A expectativa agora se volta para a entrevista que o ministro as Economia dará na quarta-feira no centro de mídia do Fórum. Até lá, segundo assessores, Guedes não dará entrevistas sobre reuniões bilaterais da sua agenda em Davos. A explicação do governo é que há uma recomendação do Fórum para Guedes não fale antes da coletiva oficial.

No discurso, Bolsonaro citou os ministros Guedes, Sérgio Moro (Justiça) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores). Sobre Guedes, Bolsonaro disse que a equipe econômica colocará o Brasil no ranking dos 50 melhores países para se fazer negócios no mundo.

No encontro do Itaú, para rebater a preocupação dos investidores com o risco de o Congresso travar a aprovação da reforma, Guedes colocou suas fichas numa frente ampla de governadores para apoiá-lo.

Acompanhe tudo sobre:Fórum Econômico MundialGoverno BolsonaroPaulo GuedesReforma da Previdência

Mais de Economia

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Lula afirma ter interesse em conversar com China sobre projeto Novas Rotas da Seda

Lula diz que ainda vai decidir nome de sucessor de Campos Neto para o BC

Banco Central aprimora regras de segurança do Pix; veja o que muda

Mais na Exame