Guedes defende que membros do Mercosul possam negociar acordos bilaterais

Em sessão temática do Senado para celebrar os 30 anos do Tratado de Assunção, Guedes mencionou a ideia de um membro "pioneiro" realizar um acordo comercial fora do bloco
No mês passado, os presidentes dos países que compõem o bloco reuniram-se, virtualmente, para celebrar os 30 anos do Mercosul (Adriano Machado/Reuters)
No mês passado, os presidentes dos países que compõem o bloco reuniram-se, virtualmente, para celebrar os 30 anos do Mercosul (Adriano Machado/Reuters)
Por ReutersPublicado em 23/04/2021 17:52 | Última atualização em 23/04/2021 18:02Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nesta sexta-feira que haja uma maior flexibilização para países-membros do Mercosul negociarem acordos individualmente, argumentando que é preciso respeitar os ritmos distintos dos sócios.

  • Entenda como as decisões da Câmara e do Senado afetam seus investimentos. Assine a EXAME.

Em sessão temática do Senado para celebrar os 30 anos do Tratado de Assunção, que originou o bloco comercial que engloba Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, Guedes mencionou a ideia de um membro "pioneiro" realizar um acordo comercial fora do bloco.

"Deixa um dos nossos membros fazer um acordo lá fora diferente. Se estiver bom, o conjunto, o grupo, avança naquela direção. Se não for bom, não avançamos", disse o ministro, que também defendeu uma redução da Tarifa Externa Comum (TEC).

"Nós achamos que é importante reduzirmos. Fizemos uma proposta de reduzir apenas 10%. Quando você fala 10%, você tem uma tarifa de 30% de um produto específico. Você está abaixando de 30% para 27%, quer dizer, isso não machuca ninguém, isso é só para manter todo mundo aquecido", complementou.

No mês passado, os presidentes dos países que compõem o bloco reuniram-se, virtualmente, para celebrar os 30 anos do Mercosul.