• AALR3 R$ 19,66 -0.46
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,52 -0.12
  • ABEV3 R$ 14,82 1.93
  • AERI3 R$ 4,15 10.67
  • AESB3 R$ 10,84 1.88
  • AGRO3 R$ 31,61 -1.40
  • ALPA4 R$ 21,98 0.83
  • ALSO3 R$ 19,87 0.91
  • ALUP11 R$ 26,33 0.30
  • AMAR3 R$ 2,36 5.83
  • AMBP3 R$ 29,72 -0.10
  • AMER3 R$ 23,95 3.90
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,61 4.28
  • ARZZ3 R$ 82,08 -0.50
  • ASAI3 R$ 15,42 -0.39
  • AZUL4 R$ 21,32 3.09
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,66 -0.46
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,52 -0.12
  • ABEV3 R$ 14,82 1.93
  • AERI3 R$ 4,15 10.67
  • AESB3 R$ 10,84 1.88
  • AGRO3 R$ 31,61 -1.40
  • ALPA4 R$ 21,98 0.83
  • ALSO3 R$ 19,87 0.91
  • ALUP11 R$ 26,33 0.30
  • AMAR3 R$ 2,36 5.83
  • AMBP3 R$ 29,72 -0.10
  • AMER3 R$ 23,95 3.90
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,61 4.28
  • ARZZ3 R$ 82,08 -0.50
  • ASAI3 R$ 15,42 -0.39
  • AZUL4 R$ 21,32 3.09
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Governo quer criar fundos imobiliários federais em plano de desestatização

O projeto "Incorpora Brasil", com previsão de lançamento em março, contará com 237 ativos incorporados aos primeiros fundos
 (Reuters/Adriano Machado)
(Reuters/Adriano Machado)
Por ReutersPublicado em 11/01/2022 12:12 | Última atualização em 11/01/2022 12:15Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Ministério da Economia iniciou um processo de sondagem de mercado para a criação de fundos imobiliários federais, com previsão de lançamento dos editais no mês de março.

De acordo com a pasta, o projeto "Incorpora Brasil" contará, inicialmente, com 237 ativos que serão incorporados aos primeiros fundos. O plano prevê a criação de fundos com vocação similar, como de logística e de desenvolvimento.

Nota do ministério afirma que farão parte da estratégia, por exemplo, o aeroporto Carlos Prates, em Belo Horizonte (MG), e a área Beira-Mar Sul, em Florianópolis (SC).

O secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Diogo Mac Cord, diz que o programa busca uma "solução no atacado" ao invés de optar pela venda individual de imóveis.

Para ele, o plano de criar cotas dentro de um fundo amplia a liquidez de grandes imóveis da União, que não teriam o mesmo êxito se fossem vendidos isoladamente.

A sondagem feita pelo Ministério da Economia com agentes de mercado começou no dia 5 de janeiro e será encerrada em 28 de janeiro. A previsão é que os editais-piloto dos fundos sejam lançados em março.