Goldman Sachs diz que redução da dívida grega poria fim à risco de contágio

Discussões sobre cancelamento de parte da dívida ainda seguem na Grécia, segundo fonte do Ministério das Finanças

Atenas - A anulação de parte da dívida grega e uma "ajuda" da União Europeia (UE) "iriam aniquilar o risco sistêmico" que ameaça a zona do euro, disse Francesco Garzarelli - um executivo do banco de negócios americano Goldman Sachs - em uma entrevista publicada neste domingo pelo jornal grego To Vima.

No sábado, o chefe do lobby bancário IIF, Charles Dallara, que participa das negociações entre o governo grego e seus credores privados, deixou a Grécia, mas as "discussões seguem por telefone", segundo uma fonte do Ministério das Finanças à AFP.

Dallara estava em negociações diretas com o primeiro-ministro grego, Lucas Papademos, e com o ministro das finanças, Evangelos Venizelos, desde quarta-feira.

A maratona de reuniões entre o governo grego e seus credores privados foi finalizada na sexta-feira à noite sem um acordo, apesar de ambas as partes se mostrarem otimistas sobre um "acordo histórico" que permitiria à Grécia obter o perdão de 100 bilhões de dólares dos mais de 350 bilhões em dívida que possui.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.