Economia

Gasolina para de subir após 6 semanas de alta

De acordo com a ANP, entre 20 e 26 de novembro o preço médio do litro nas bombas foi de R$ 5,04

E

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2022, 09h12

Após seis semanas seguidas de alta, o preço da gasolina nos postos mostra sinais de estabilidade, aponta levantamento semanal realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). De acordo com a agência, entre 20 e 26 de novembro o preço médio do litro nas bombas foi de R$ 5,04, leve queda comparada à pesquisa da semana imediatamente anterior (R$ 5,05).

Acesse o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Com uma conta gratuita.

Faça parte

Nas refinarias da Petrobras, o preço está congelado há 87 dias. Após os esforços do governo federal para conter os preços do insumo e brecar a inflação, a gasolina vinha subindo desde o dia 2 de outubro, quando o litro custava na média R$ 4,79. No período, a alta acumulada nas bombas é de 5,2%.

Continua após a publicidade

A explicação para a atual estabilidade está no esgotamento do movimento de alta de preços do etanol anidro, relacionado à entressafra. O produto compõe 27% da mistura da gasolina e, nas duas últimas semanas, teve queda acumulada de 3,6%, segundo a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq/USP).

Veja também

Nas últimas 11 semanas, desde quando o etanol anidro começou a subir, a alta acumulada do insumo ainda é de 10,7%. Quedas mais intensas no preço do etanol podem aliviar o custo da gasolina no curto prazo, dizem especialistas ouvidos pelo Estadão/Broadcast.

Continua após a publicidade

Últimas notícias

ver mais

Continua após a publicidade

Brands

ver mais

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais