FMI sobe projeção para PIB do Brasil de 0,8% para 1,7% em 2022

A expansão do Brasil deve apoiar, contudo, o PIB da América Latina, de acordo com o FMI
PIB do Brasil: Para 2023, o FMI promoveu um novo corte em suas projeções e espera que a economia brasileira cresça 1,1% e não mais 1,4%, como havia estimado em abril (Cesar Okada/Getty Images)
PIB do Brasil: Para 2023, o FMI promoveu um novo corte em suas projeções e espera que a economia brasileira cresça 1,1% e não mais 1,4%, como havia estimado em abril (Cesar Okada/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 26/07/2022 às 12:15.

Última atualização em 26/07/2022 às 12:19.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou novamente a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2022, de uma alta de 0,8% em abril para 1,7% agora. Apesar de ser a maior revisão para cima anunciada pelo organismo, conforme o relatório Perspectiva Econômica Mundial (WEO, na sigla em inglês), publicado nesta terça-feira, 26, o País vai crescer menos que a média mundial e seus pares emergentes.

A expansão do Brasil deve apoiar, contudo, o PIB da América Latina, de acordo com o FMI. "A América Latina e o Caribe também tiveram uma revisão para cima, de 0,5 ponto porcentual, em 2022, como resultado de uma recuperação mais robusta nas grandes economias", diz o fundo, no documento, citando países como Brasil, México, Colômbia e Chile.

Para 2023, o FMI promoveu um novo corte em suas projeções e espera que a economia brasileira cresça 1,1% e não mais 1,4%, como havia estimado em abril. Novamente, aqui, a redução das previsões foi em ritmo mais ameno do que a de outros países. Ainda assim, passadas as eleições presidenciais no Brasil, a economia deve se expandir abaixo do PIB global e dos mercados emergentes, prevê o fundo.

LEIA TAMBÉM: 

Conselho da Petrobras (PETR4) vai avaliar antecipação de dividendos à União

FMI vê vários riscos de baixa no PIB global, como guerra, China e inflação