Economia

Exxon ganha disputa com Petrobras por bloco na bacia de Campos

Além desse bloco, a ExxonMobil adquiriu também o bloco CM-67, com oferta única de R$ 16,3 milhões

Bacia de Campos: ao todo a bacia arrecadou R$ 63,4 milhões com a venda de dois dos quatro blocos ofertados (Rich Press/Bloomberg)

Bacia de Campos: ao todo a bacia arrecadou R$ 63,4 milhões com a venda de dois dos quatro blocos ofertados (Rich Press/Bloomberg)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 27 de setembro de 2017 às 14h09.

Rio - A ExxonMobil venceu a Petrobras na disputa pelo bloco CM-37, na Bacia de Campos, ao oferecer bônus de R$ 47,1 milhões, contra R$ 22,9 milhões da estatal.

Além desse bloco, a ExxonMobil adquiriu também o bloco CM-67, com oferta única de R$ 16,3 milhões.

Ao todo a bacia arrecadou R$ 63,4 milhões com a venda de dois dos quatro blocos ofertados, ágio de 109,4% sobre o preço original. Os investimentos previstos para a área são de R$ 63,23 milhões.

A empresa norte-americana voltou ao mercado brasileiro de petróleo e gás nesta quarta-feira, 27, ao liderar consórcio que levou dois blocos na Bacia de Sergipe-Alagoas, em águas profundas e ultraprofundas. Ao lado da Murphy (20%) e da Queiroz Galvão (30%), pagou bônus de assinatura de R$ 62,82 milhões e ágio de 99,65% por uma área do setor SSEAL-AP2.

Pela área SSEAL-AUP2, o mesmo consórcio pagou R$ 47,11 milhões, ágio de 444,94%.

Uma das grandes petroleiras mundiais, a Exxon, atualmente, possui apenas duas áreas exploratórias no Brasil: uma em Sergipe e outra no Rio Grande do Norte.

A empresa chegou a ter participação agressiva nos primeiros leilões realizados no País. Mas, sem sucesso equivalente às suas apostas, recuou nas últimas concorrências.

Acompanhe tudo sobre:ExxonLeilõesPetrobrasPetróleo

Mais de Economia

Petrobras anuncia aumento de preço da gasolina e gás de cozinha

Boletim Focus: mercado volta a subir projeção da inflação de 2024 e 2025

Plano Real, 30 anos: Como a inflação no Brasil passou de 1000%? Veja 1º episódio da série da EXAME

Mais na Exame