EUA impõe sanções à mineradora estatal da Venezuela Minerven

Os EUA acusam a mineradora estatal Minerven e seu presidente de realizarem operações ilegais de ouro que apoiam o presidente venezuelano

Os Estados Unidos impuseram novas sanções à Venezuela nesta terça-feira, desta vez contra a mineradora estatal Minerven e seu presidente, Adrián Perdomo, a quem acusa de realizar operações ilegais de ouro que apoiam o presidente venezuelano Nicolás Maduro.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que a medida visa a mineradora Minerven e seu presidente "por sustentar o círculo interno do corrupto regime de Maduro", que Washington está pressionando para deixar o poder.

"Vamos perseguir agressivamente aqueles envolvidos com o comércio ilícito de ouro de Maduro que está contribuindo para esta crise financeira, humanitária e ambiental" no país latino-americano, acrescentou.

Os Estados Unidos, que reconhecem junto com outros 50 países o líder parlamentar da oposição, Juan Guaidó, como presidente interino, aplicaram sanções econômicas e um embargo ao petróleo venezuelano.

"Os lucros gerados pela mineração ilegal dirigida por Maduro são cobiçados pelos militares venezuelanos, aos quais Maduro concede livre acesso às minas", explicou o Departamento do Tesouro.

As sanções congelam quaisquer ativos que essas pessoas possam ter nos Estados Unidos e as proíbem de realizar qualquer transação financeira com indivíduos ou entidades americanos.

O Tesouro repetiu seu mantra de sanções, afirmando que elas não serão necessariamente permanentes, mas "que se destinam a motivar uma mudança positiva de comportamento".

Washington suspenderá essas medidas contra aqueles que "tomarem ações concretas e significativas para restaurar a ordem democrática" na Venezuela.

Desde 2015, os Estados Unidos impuseram sanções a dezenas de autoridades venezuelanas e ex-autoridades, incluindo Maduro e sua esposa Cilia Flores, e o ministro da Defesa, Vladimir Padrino, acusando-os de violar os direitos humanos, atuar contra a democracia, corrupção e tráfico de drogas.

O Departamento do Tesouro observou que "o impacto da mineração ilegal sob o regime de Maduro tem sido criticado pela sociedade civil e grupos ambientalistas pela realização de avaliações de impacto ambiental e estudos sobre suas consequências culturais".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.