Economia

Empresas estatais chinesas têm lucro total de RMB 2,4 trilhões nos primeiros 11 meses de 2023

Elas também concluíram investimentos em ativos fixos (incluindo imóveis) no valor de RMB 4,1 trilhões, com um aumento de 9,1% em relação ao mesmo período do ano anterior

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 31 de dezembro de 2023 às 10h00.

Ao longo deste ano, as empresas estatais centrais chinesas têm demonstrado uma orientação mais clara para a criação de valor, alcançando um lucro total de RMB 2,4 trilhões de janeiro a novembro. Elas também concluíram investimentos em ativos fixos (incluindo imóveis) no valor de RMB 4,1 trilhões, com um aumento de 9,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os gastos com pesquisa e desenvolvimento ultrapassaram os RMB 900 bilhões, uativosm aumento de quase RMB 70 bilhões em comparação com o mesmo período do ano anterior, demonstrando uma melhoria na qualidade do desenvolvimento empresarial e uma base mais sólida.

Essas informações foram divulgadas durante a reunião dos líderes das empresas estatais centrais, realizada pela Comissão de Supervisão e Administração de Ativos Estatais do Conselho de Estado, nos dias 25 e 26 de dezembro.

De acordo com as informações disponíveis, a eficiência operacional das empresas estatais centrais continua a melhorar, com uma produtividade do trabalho anualizada de RMB 773 mil por pessoa nos primeiros 11 meses deste ano, representando um aumento de 3,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Além disso, a modernização da estrutura industrial está avançando rapidamente, com um foco sem precedentes nas indústrias emergentes estratégicas e futuras, enquanto as indústrias tradicionais estão passando por uma aceleração na atualização e melhorias.

Acompanhe tudo sobre:ChinaEmpresas estatais

Mais de Economia

Governo Milei anuncia venda de dólares no câmbio paralelo argentino

Argentina volta a ter alta de inflação em junho; acumulado de 12 meses chega a 271,5%

Com alíquota de 26,5%, Brasil deve ter um dos maiores IVAs do mundo; veja ranking

Haddad declara ser favorável à autonomia financeira do Banco Central

Mais na Exame