Economia

Empresas da Eletrobras são vetadas em leilão de transmissão

Despacho vetou as elétricas Chesf, Furnas e Eletronorte de participarem como proponentes no leilão para novas linhas de transmissão de eletricidade

Linhas de transmissão: com o veto, essas subsidiárias da Eletrobras podem participar do leilão apenas em consórcios, desde que como minoritárias (./Divulgação)

Linhas de transmissão: com o veto, essas subsidiárias da Eletrobras podem participar do leilão apenas em consórcios, desde que como minoritárias (./Divulgação)

R

Reuters

Publicado em 9 de março de 2017 às 10h26.

Última atualização em 9 de março de 2017 às 11h44.

São Paulo - As elétricas Chesf, Furnas e Eletronorte, todas subsidiárias da estatal Eletrobras, tiveram vetada a participação como proponentes no leilão para a concessão de novas linhas de transmissão de eletricidade agendado pelo governo para 24 de abril.

Em despacho no Diário Oficial da União desta quinta-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apontou que as empresas não foram habilitadas devido a atrasos em suas obras no setor ao longo dos últimos 36 meses.

A Chesf acumula nove autos de infração e atraso médio de 1.816 dias em obras de linhas de energia. A Eletronorte tem quatro infrações e 650 dias de atraso médio, enquanto Furnas tem 4 autos de infração e 1.695 dias de atraso, em média.

Com o veto, essas subsidiárias da Eletrobras podem participar do leilão apenas em consórcios, desde que como minoritárias.

O órgão regulador tem realizado análises sobre o desempenho das transmissoras com atuação no país antes de cada nova licitação de projetos no setor, para evitar a atribuição de novos empreendimentos a empresas já bastante comprometidas com atrasos e multas, antes mesmo das empresas se inscreverem para participar do certame.

Acesse aqui íntegra do despacho da Aneel.

Acompanhe tudo sobre:ChesfEletrobrasEletronorteEmpresasEnergia elétricaFurnasLeilões

Mais de Economia

BC libera novo estoque limitado de moeda comemorativa de R$ 5; veja fotos e como comprar

Especialista dá dicas sobre como "dolarizar" sua renda

Microempreendedor Individual é a cara do Brasil que avança

Após reunião com Lula, Uber anuncia R$ 10 milhões a motoristas afetados no RS

Mais na Exame