Empreiteiras chinesas sofrem com vendas fracas

Fraco desempenho é resultado de uma redução nas vendas de moradias no três meses encerrados em setembro

Mais da metade das 80 empreiteiras chinesas que publicaram seus balanços do terceiro trimestre do ano registraram prejuízos ou lucros menores.

O fraco desempenho é resultado de uma redução nas vendas de moradias no três meses encerrados em setembro. Descontos oferecidos pelas imobiliárias, em vez de estimularem o mercado, só pioraram a situação, diminuindo os lucros das companhias.

Segundo a agência de classificação de risco Moody's, as empreiteiras esperam um novo fôlego no quatro trimestre, uma vez que as vendas de moradias começam a cair de forma mais moderada, como consequência de políticas de estímulo ao setor, como regras mais frouxas para tomada de empréstimos habitacionais.

De acordo com o vice-presidente da Moody's na China, Kaven Tsang, as vendas de moradias devem encerrar o ano de 2014 com um recuo entre 5% e 10% em relação a 2013, um pouco melhor do que o declínio recorde verificado nos primeiros nove meses do ano ante igual período do ano passado, de 10,8%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.