EDP e Furnas vencem disputa por São Manoel no leilão A-5

Hidrelétrica foi licitada e vendeu energia a R$ 83,49 por megawatt-hora (MWh), um deságio de cerca de 22% ante o preço-teto de R$ 107 por MWh

São Paulo - O consórcio formado por EDP Energias de Portugal e Furnas, da Eletrobras, venceu a concessão da usina São Manoel no leilão de energia A-5 nesta sexta-feira, em leilão marcado por forte contratação de energia eólica.

O leilão contratou energia de usinas que somam 3.507 megawatts (MW) de potência instalada, com destaque para as eólicas, que venderam energia de 2.338 MW de 97 parques.

A hidrelétrica São Manoel (700 MW) foi licitada e vendeu energia a 83,49 reais por megawatt-hora (MWh), um deságio de cerca de 22 por cento ante o preço-teto de 107 reais por MWh. EDP tem 67 por cento no consórcio vencedor e Furnas tem 33 por cento, segundo informações divulgadas no leilão.

"Cinco consórcios fizeram ofertas (pela usina)", disse a jornalistas o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim.

O presidente da Comissão Especial de Licitação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Ivo Nazareno, disse que o consórcio venceu o leilão apresentando lance decisivo para arrematar o empreendimento na primeira rodada.

Tolmasquim acrescentou ainda que em 2013 a contratação de projetos de energia eólica no Brasil foi recorde para um ano, somando 4,7 GW, considerando todos os leilões realizados.

O preço médio de toda a energia vendida no leilão foi de 109,93 reais por MWh, sendo que foi contratado um volume total de energia de 325.582.714,900 MWh. O leilão movimentou 35,8 bilhões de reais em contratos de energia. Os investimentos previstos nas usinas viabilizadas no leilão somam 12,8 bilhões de reais, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Leilão Diversificado

Além de São Manoel, 16 outros projetos hidrelétricos menores venderam energia no leilão, 97 eólicas, 4 térmicas a biomassa e 1 térmica a cavaco de madeira.

"O leilão contratou só fontes renováveis, isso é um fato interessante, além da diversificação de fontes renováveis", disse Tolmasquim.

As PCHs venderam energia ao preço médio de 137,35 reais por MWh, ante preço máximo para a fonte de 144 reais por MWh. O preço-médio da energia eólica no leilão foi de 119,03 reais por MWh, deságio de 2,43 por cento em relação ao preço-teto de 122 reais por MWh.

A energia a biomassa de cana vendeu energia ao preço médio de 133,38 reais por MWh e a térmica a cavaco de madeira vendeu a 135,49 reais por MWh. O preço máximo para essas fontes também era de 144 reais por MWh.

O leilão A-5 contratou energia que precisa ser entregue a partir de 2018 ao mercado atendido pelas distribuidoras.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.