Economia

Economistas elevam projeção de Selic a 10% em 2013

A projeção para 2015 também foi elevada, passando para 10,25% antes 9,75%


	Sede do Banco Central em Brasília: a estimativa para inflação neste ano foi a 5,83%, ante 5,81%
 (Ueslei Marcelino/Reuters)

Sede do Banco Central em Brasília: a estimativa para inflação neste ano foi a 5,83%, ante 5,81% (Ueslei Marcelino/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 21 de outubro de 2013 às 09h15.

São Paulo - Economistas de instituições financeiras elevaram suas estimativas para a taxa básica de juros neste ano e no próximo, refletindo os sinais dados pelo BC de que manterá o ritmo de aperto monetário, após elevar a Selic a 9,5 por cento ao ano neste mês.

Pesquisa Focus do Banco Central mostrou nesta segunda-feira que a mediana das estimativas aponta para uma Selic de 10 por cento no final de 2013, ante projeção de 9,75 por cento na semana passada. Para 2014, a projeção passou a 10,25 por cento, ante 9,75 por cento, Para a reunião de novembro do Comitê de Política Monetária (Copom), a última do ano, a perspectiva é de nova alta de 0,5 ponto percentual.

A mediana das estimativas do Top 5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções nesse período, manteve a perspectiva de aperto monetário. Para 2013, a estimativa para a Selic ficou em 10 por cento pela sétima semana consecutiva; e, para 2014, ficou em 10,50 por cento pela segunda semana seguida.

Na ata da última reunião do Copom, o BC sinalizou a continuidade do ritmo de alta dos juros, ao defender ser "apropriada a continuidade do ritmo de ajuste das condições monetárias ora em curso".

INFLACAO Para a inflação deste ano, a estimativa foi a 5,83 por cento, ante 5,81 por cento anteriormente. Para 2014, a projeção para o IPCA foi reduzida a 5,94 por cento, ante 5,95 por cento na pesquisa anterior.

O ajuste na estimativa de preços ocorre após o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) acelerar a alta em outubro para 0,48 por cento, acima do esperado, pressionado pelos preços de alimentos.

Já para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a projeção para 2013 foi a 2,50 por cento, ante 2,48 por cento na pesquisa anterior, enquanto para 2014 ela foi mantida em 2,20 por cento.

*Matéria atualizada às 10h15

Acompanhe tudo sobre:Banco CentralBoletim FocusEstatísticasIndicadores econômicosInflaçãoMercado financeiroSelic

Mais de Economia

STF prorroga até setembro prazo de suspensão da desoneração da folha

FGTS tem lucro de R$ 23,4 bi em 2023, maior valor da história

Haddad diz que ainda não apresentou proposta de bloqueio de gastos a Lula

FMI confirma sua previsão de crescimento mundial para 2024 a 3,2%

Mais na Exame