Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Dona do Burger King vê inflação em itens como carne e maionese

A Restaurant Brands International observou um salto dos preços de itens importantes como carne, maionese e bacon em meio à alta demanda e restrições de oferta, segundo relatório interno

A dona do Burger King e da rede Popeyes observa um salto dos preços de itens importantes como carne, maionese e bacon em meio à alta demanda e restrições de oferta, segundo relatório interno.

A Restaurant Brands International “consegue ver inflação significativa em todas as regiões em proteínas e óleos” em comparação com as médias históricas de cinco anos, de acordo com relatório da empresa sobre commodities, datado de 17 de maio e visto pela Bloomberg News.

“A inflação de preços em todo o complexo do mercado de proteínas superou muito até mesmo nossas previsões mais altistas”, disse a empresa no relatório.

A empresa, que também é dona da rede Tim Hortons, disse que, embora as refeições fora de casa estejam voltando aos níveis anteriores à covid-19, as vendas de alimentos também continuam altas. Isso tem pressionado as cadeias de suprimentos ao mesmo tempo em que um mercado de trabalho extremamente apertado, com falta de caminhoneiros por exemplo, aumenta as despesas de transporte.

“O mundo enfrenta crescentes custos das commodities por uma série de razões - e estamos gerenciando esses custos com cuidado, como sempre fazemos”, disse a Restaurant Brands por e-mail. “Temos uma série de estratégias para mitigar os aumentos de custos e, como prática, não falamos sobre elas por razões competitivas.”

A empresa de Toronto também disse que adota uma “visão de longo prazo” ao gerenciar e desenvolver estratégias de compra para amenizar as flutuações das commodities.

Em todo o setor, restaurantes têm elevado os preços em meio a pressões inflacionárias. A Chipotle Mexican Grill anunciou recentemente que aumentou os preços de seu cardápio na semana passada. A alta não se limita aos restaurantes: fabricantes de bens de consumo citaram muitas das mesmas dinâmicas em rodada recente de aumentos de preços.

A maionese está entre os ingredientes com preços mais altos devido aos maiores custos do óleo de soja, um insumo importante. A Restaurant Brands faz hedge para ajudar a evitar as flutuações do mercado, mas observa que a disponibilidade de óleo processado se torna um “grande risco”. A empresa repôs os estoques de maionese com um preço de hedge mais alto para garantir o fornecimento por cerca de cinco meses.

Na América do Norte, a tendência de alta dos preços da carne bovina deve continuar no segundo semestre de 2021. A Restaurant Brands, cujas unidades são quase todas franqueadas, projeta aumento de 8% nos produtos processados de carne bovina no segundo semestre em relação ao primeiro para proprietários de restaurantes. Ao mesmo tempo, os preços da carne suína subiram em meio à forte demanda da China, maior movimento nos restaurantes e aumento dos custos com ração.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também