Dilma alerta para novos contornos da crise econômica

Segundo a presidente, políticas ortodoxas estão agravando a crise e as lideranças do "mundo desenvolvido ainda não encontraram um caminho"

São Paulo – Em seu tradicional discurso de abertura da 67ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, a presidente Dilma Rousseff disse, nesta terça-feira, que a crise econômica internacional “ganhou novos e inquietantes contornos”.

Segundo a presidente, políticas ortodoxas estão agravando a crise e as lideranças do “mundo desenvolvido ainda não encontraram um caminho” do crescimento. “Os Bancos Centrais persistem em uma política monetária expansionista”, criticou.

Dilma afirmou ainda que a política monetária não pode ser a única resposta para os problemas que afetam as camadas mais vulneráveis, entre eles o desemprego. “Não aceitamos que a iniciativa de defesa comercial seja classificada como protecionista”, acrescentou. Na opinião da presidente, “não haverá resposta” para a crise enquanto “não se intensificarem os esforços de coordenação”.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.