Economia
Acompanhe:

Diferença entre diesel vendido pela Petrobras e pela Acelen chega a 17%, diz OSP

A estatal está há um mês com o preço do diesel congelado e só deve voltar à paridade internacional após o segundo turno das eleições presidenciais

Posto de gasolina: diferença entre diesel vendido pela Petrobras e pela Acelen chega a 17%, diz OSP (Pilar Olivares/Reuters)

Posto de gasolina: diferença entre diesel vendido pela Petrobras e pela Acelen chega a 17%, diz OSP (Pilar Olivares/Reuters)

E
Estadão Conteúdo

21 de outubro de 2022, 11h01

A diferença do preço do diesel vendido pela Petrobras em suas refinarias e da Acelen, única refinaria de grande porte privada do País, já chega a 17%, segundo levantamento do Observatório Social de Petróleo (OSP). A estatal está há um mês com o preço do diesel congelado e só deve voltar à paridade internacional após o segundo turno das eleições presidenciais, no próximo dia 30.

O preço médio do diesel vendido pela Petrobras, segundo o OSP, é de R$ 4,89 por litro, enquanto o da Acelen é de R$ 5,73 o litro.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

A Acelen reajusta semanalmente seus combustíveis, para cima ou para baixo, desde que assumiu a Refinaria de Mataripe, ex-Landulpho Alves (Rlam), no final de 2021. O reajuste é feito toda sexta-feira. Na semana passada, foram concedidos aumentos entre 4,9% e 8,9%, para o diesel, dependendo do mercado atendido enquanto a gasolina subiu cerca de 3%.

De acordo com o levantamento do OSP, no caso da gasolina, a Petrobras e a Acelen estão praticando preços mais próximos, com a média de R$ 3,28 e R$ 3,88 por litro, respectivamente.

O diesel tem subido mais que a gasolina no mercado internacional com a proximidade do inverno no Hemisfério Norte, que aumenta a demanda, e pela continuidade da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, que reduz a oferta global do combustível.

LEIA TAMBÉM: