• AALR3 R$ 20,15 -0.25
  • AAPL34 R$ 68,00 1.83
  • ABCB4 R$ 16,89 1.20
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.14
  • AERI3 R$ 3,78 3.85
  • AESB3 R$ 10,88 1.68
  • AGRO3 R$ 30,94 0.65
  • ALPA4 R$ 20,81 1.71
  • ALSO3 R$ 19,44 2.26
  • ALUP11 R$ 27,03 0.86
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,28 4.09
  • AMER3 R$ 23,93 1.96
  • AMZO34 R$ 64,61 -3.05
  • ANIM3 R$ 5,68 4.22
  • ARZZ3 R$ 80,31 -1.29
  • ASAI3 R$ 15,96 0.00
  • AZUL4 R$ 21,81 3.36
  • B3SA3 R$ 12,17 1.08
  • BBAS3 R$ 38,26 3.41
  • AALR3 R$ 20,15 -0.25
  • AAPL34 R$ 68,00 1.83
  • ABCB4 R$ 16,89 1.20
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.14
  • AERI3 R$ 3,78 3.85
  • AESB3 R$ 10,88 1.68
  • AGRO3 R$ 30,94 0.65
  • ALPA4 R$ 20,81 1.71
  • ALSO3 R$ 19,44 2.26
  • ALUP11 R$ 27,03 0.86
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,28 4.09
  • AMER3 R$ 23,93 1.96
  • AMZO34 R$ 64,61 -3.05
  • ANIM3 R$ 5,68 4.22
  • ARZZ3 R$ 80,31 -1.29
  • ASAI3 R$ 15,96 0.00
  • AZUL4 R$ 21,81 3.36
  • B3SA3 R$ 12,17 1.08
  • BBAS3 R$ 38,26 3.41
Abra sua conta no BTG

Diesel da Petrobras já acumula alta de 15% em 2018

Além do diesel, a gasolina também vem subindo para máximas nas refinarias da estatal
Diesel comercializado pela Petrobras nas refinarias vem renovando máximas e já acumula alta de quase 15 por cento apenas em 2018 (Getty Images/FeelPic)
Diesel comercializado pela Petrobras nas refinarias vem renovando máximas e já acumula alta de quase 15 por cento apenas em 2018 (Getty Images/FeelPic)
Por ReutersPublicado em 09/05/2018 14:49 | Última atualização em 09/05/2018 14:52Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - Com seguidos reajustes, o diesel comercializado pela Petrobras nas refinarias vem renovando máximas e já acumula alta de quase 15 por cento apenas em 2018, refletindo em grande parte a disparada nas cotações internacionais do petróleo.

Nesta quarta-feira, o diesel, combustível mais consumido no país, é vendido a 2,1728 reais por litro nas refinarias da estatal, o maior nível ao menos desde julho do ano passado, quando a petroleira deu início a uma nova sistemática de formação de preços, com reajustes praticamente todos os dias.

No acumulado do ano, o avanço chega a 14,65 por cento e, desde julho, a 37,9 por cento.

O repasse ou não dessas alterações para as bombas dos postos de combustíveis depende da estratégia das distribuidoras e revendedoras. Além disso, a Petrobras vem ressaltando, inclusive em campanhas publicitárias, que mais da metade do valor final do produto deve-se à incidência de tributos e impostos.

Por meio de sua política de formação de preços, a companhia visa seguir as oscilações internacionais, entre outros parâmetros, de modo a manter certa paridade com o mercado externo.

Nas últimas semanas, o petróleo vem avançando com força, para os maiores níveis desde 2014, dados os cortes de oferta do cartel Opep, a demanda firme e, nesta semana, a saída dos Estados Unidos de um acordo nuclear com Irã, com possibilidade de novas sanções de Washington sobre Teerã.

Além do diesel, a gasolina também vem subindo para máximas nas refinarias da Petrobras.

Nesta quarta-feira, está em 1,8523 real por litro, alta de quase 10 por cento em 2018 e de 33,85 por cento desde julho.