Economia

Desemprego cai em novembro na região metropolitana de São Paulo

O contingente de desempregados foi calculado em 1,869 milhão de pessoas, 41 mil a menos do que no mês anterior

Emprego: número é decorrente da elevação do nível de ocupação (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Emprego: número é decorrente da elevação do nível de ocupação (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

AB

Agência Brasil

Publicado em 21 de dezembro de 2016 às 11h06.

A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo apresentou queda, ao passar de 17,2% em outubro para 16,8% em novembro. A informação é da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), feita todos os meses pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Segundo os dados, o contingente de desempregados foi calculado em 1,869 milhão de pessoas, 41 mil a menos do que no mês anterior. Esse número é decorrente da elevação do nível de ocupação, com a geração de 65 mil postos de trabalho (0,7%), e da População Economicamente Ativa (PEA), que registrou 24 mil pessoas entrando no mercado de trabalho, o que equivale a 0,2%.

Os dados mostram também que em novembro o nível de ocupação aumentou 0,7% e o contingente de ocupados foi estimado em 9,257 milhões de pessoas.

O resultado foi em função de aumentos de empregados nas áreas de Serviços (1,7%, ou geração de 94 mil postos de trabalho), da Indústria de Transformação (1,4%, ou 19 mil) e da Construção (0,6%, ou 4 mil), além da redução no Comércio e Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas (-2,1%, ou eliminação de 35 mil postos de trabalho).

A pesquisa mostrou ainda que o número de assalariados variou 0,4%. No setor privado, houve aumento do número de assalariados sem carteira assinada (4,6%) e caiu o número de assalariados com carteira assinada (-0,8%).

O contingente de ocupados autônomos aumentou 2,6%, assim como o de ocupados no agregado demais posições (0,6%). O nível de empregados domésticos caiu 0,8%.

De acordo com a PED, entre setembro e outubro, o rendimento médio real dos ocupados aumentou 1,7%, passando a equivaler a R$ 2.014,00, e dos assalariados aumentou 1,3%, valendo R$ 2.059,00.

Acompanhe tudo sobre:DesempregoDieeseEmpregossao-paulo

Mais de Economia

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Lula afirma ter interesse em conversar com China sobre projeto Novas Rotas da Seda

Lula diz que ainda vai decidir nome de sucessor de Campos Neto para o BC

Mais na Exame