Desemprego atinge patamar mais baixo em sete anos nos EUA

A criação de empregos nos Estados Unidos aumentou em abril, como era esperado pelos analistas, e a taxa de desemprego também caiu

A criação de empregos nos Estados Unidos subiu em abril, conforme as expectativas dos analistas. Além disso, a taxa de desemprego sofreu uma queda, a maior em sete anos, segundo dados publicados nesta sexta-feira pelo Departamento do Trabalho.

A atividade econômica gerou 223.000 empregos no mês passado, enquanto que as previsões dos analistas foram de 218.000 novos postos de trabalho.

A taxa de desemprego caiu para 5,4%, seu nível mais baixo desde maio de 2008.

Esse aumento tranquilizador da geração de emprego no início do segundo trimestre é anunciado após o crescimento decepcionante da economia nos primeiros três meses do ano (+0,2% segundo a primeira estimativa) e a revisão em forte baixa da criação de empregos em março, quando foram gerados apenas 85.000 postos de trabalhos, enquanto a estimativa inicial era de 126.000.

Este desempenho é o mais fraco em termos de criações de empregos desde junho de 2012, disse o governo.

Em um ano, a taxa de desemprego caiu em 0,8 ponto percentual e a quantidade de desempregados em 1,1 milhão, para estabelecer-se em 8,5 milhões.

A quantidade de pessoas que só encontraram emprego de meio período, característica do mercado americano desde a crise financeira, caiu para 6,58 milhões de pessoas, pouco em relação aos 6,7 milhões dos dados anteriores.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.