Crise de covid na Índia ameaça recuperação mundial da pandemia

Surto fora de controle abre caminho para que mais mutações evoluam, o que poderia desafiar as vacinas atualmente distribuídas

A Índia é agora o epicentro da pandemia de covid-19, com número recorde de novos casos a cada dia. Imagens de hospitais sobrecarregados de doentes e pessoas morrendo inundam as redes sociais, enquanto profissionais de saúde e a população fazem apelos desesperados por suprimentos de oxigênio. Mais de 200.000 pessoas morreram por covid, embora o número real seja provavelmente muito maior.

As capitais políticas e financeiras de Nova Déli e Mumbai estão fechadas, e apenas o som de sirenes de ambulâncias quebra o silêncio. Mas os dedos apontam cada vez mais para o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, sobre a resposta do governo à pandemia.

O governo Modi tentou bloquear algumas críticas recentes de sua resposta ao coronavírus no Twitter, onde se torna evidente a raiva e a decepção com o líder da Índia.

Os números fazem diferença. A Índia conta com uma população de 1,4 bilhão, menor apenas que a da China. Até 30 de abril, as mortes por covid-19 registradas no país somavam 208.330. Na campanha de imunização, 152 milhões de doses foram administradas, cobrindo apenas 5,6% da população.

Por que isso importa

A onda de covid-19 da Índia interrompeu de repente sua campanha de diplomacia de vacinas, depois que o primeiro-ministro chamou o país do sul da Ásia de “farmácia para o mundo” e fez promessas ambiciosas sobre a capacidade de enviar milhões de imunizantes ao exterior.

As exportações e doações do país tiveram grande peso na Covax, o programa global da Organização Mundial da Saúde para fornecer vacinas a países de baixa renda. Quando a oferta quase secou, muitos países correram para encontrar alternativas.

Dada a crescente importância estratégica da Índia, a crise coloca em risco não apenas a recuperação preliminar da terceira maior economia da Ásia, mas também as tentativas de controlar a covid-19 e estimular a retomada global.

Alguns cientistas associaram a nova onda da Índia a uma cepa mais virulenta, e o surto fora de controle abre caminho para que mais mutações evoluam, o que poderia desafiar as vacinas atualmente distribuídas da Europa aos EUA.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.