Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Corte de impostos na indústria automotiva pode viabilizar carros abaixo de R$ 60 mil, diz Anfavea

Redução de impostos na indústria automotiva pode resultar em preços mais baixos para carros, diz presidente da Anfavea

Modo escuro

Carros populares: de acordo com o ministro, essa redução vai possibilitar um desconto no valor dos carros que irá variar de 1,5% até 10,79% (Levi Bianco/Getty Images)

Carros populares: de acordo com o ministro, essa redução vai possibilitar um desconto no valor dos carros que irá variar de 1,5% até 10,79% (Levi Bianco/Getty Images)

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Márcio Lima Leite, afirmou, após reunião no Palácio do Planalto, que o corte de impostos para a indústria automotiva, anunciado nesta quinta-feira, 25, pelo governo, deve tornar possível a venda de carros abaixo de R$ 60 mil, como quer o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Tudo depende da política de preços de cada montadora, disse Leite.

Nesta quinta-feira, o vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, anunciou que a União irá promover um desconto por tempo limitado no IPI e PIS/Cofins de automóveis que hoje custam até R$ 120 mil.

De acordo com o ministro, essa redução vai possibilitar um desconto no valor dos carros que irá variar de 1,5% até 10,79%. Carros acima de R$ 120 mil estão fora do programa.

"Sobre o preço, cada montadora tem sua política. Pelos números que vêm sendo apresentados, é possível termos preços abaixo de R$ 60 mil. Com as reduções tributárias em discussão e o esforço conjunto de todo setor, é bem possível que tenhamos queda nos preços", disse Leite, após a reunião no Palácio do Planalto com Lula, Alckmin, e os ministros Fernando Haddad (Fazenda) e Rui Costa (Casa Civil).

O presidente da Anfavea avaliou o diálogo com o governo como "bom"

Não há definição sobre a renúncia fiscal que a medida vai acarretar nem o impacto porcentual sobre os impostos.

Os números dependem da duração da medida. Para Leite, é preciso que o corte de impostos dure pelo menos um ano para aumentar a produção e os investimentos da indústria automobilística, que hoje trabalha com 50% de sua capacidade.

"Ao que nos pareceu, o ministro da Fazenda está fazendo as contas para identificar se a validade da medida provisória se dará por um ano, seis meses, dois meses, quatro meses. O tempo é fundamental para falar do tamanho da renúncia", afirmou o presidente da Anfavea a jornalistas. "Em princípio, entendemos que o ministério discute o tempo, não o conceito", acrescentou.

De acordo com Márcio Lima Leite, a redução de impostos vai contemplar os veículos que estão nas concessionárias, sem mudanças tecnológicas nesses carros. A medida ainda tem o potencial de evitar greves ao ajudar na retomada do setor. Também terá bom impacto ambiental, porque a renovação da frota significa uma diminuição nas emissões de gases de efeito estufa. "O carro usado emite 23 vezes mais que o novo", declarou o presidente da Anfavea.

Créditos

Últimas Notícias

ver mais
Governo estima déficit fiscal de R$ 141,4 bi em 2023 e anuncia bloqueio de R$ 588 mi do Orçamento
Economia

Governo estima déficit fiscal de R$ 141,4 bi em 2023 e anuncia bloqueio de R$ 588 mi do Orçamento

Há 18 horas
Assembleia da Vale elege Dario Durigan como novo membro do Conselho Fiscal
Economia

Assembleia da Vale elege Dario Durigan como novo membro do Conselho Fiscal

Há 22 horas
Na China, Xangai e Pequim anunciam relaxamento de regras para investimento estrangeiro direto
Economia

Na China, Xangai e Pequim anunciam relaxamento de regras para investimento estrangeiro direto

Há 23 horas
Mercado Livre e Shopee recebem aval para isenção de imposto em compras internacionais de até US$ 50
Economia

Mercado Livre e Shopee recebem aval para isenção de imposto em compras internacionais de até US$ 50

Há 23 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais