Copa do Mundo cria vagas e aumenta salários, diz Catho

De um ano para cá, restaurantes aumentaram contratações em 77% e salário médio dos profissionais de turismo subiu 28%
Moradores da Travessa Santa Clara, região central de Niterói, enfeitam rua para Copa do Mundo 2014:  (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Moradores da Travessa Santa Clara, região central de Niterói, enfeitam rua para Copa do Mundo 2014: (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Por João Pedro CaleiroPublicado em 26/05/2014 18:23 | Última atualização em 26/05/2014 18:23Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - O impacto econômico geral da Copa do Mundo ainda é incerto, mas há evidências de que o evento está mexendo com o mercado de trabalho. De acordo com o site de empregos Catho, está ocorrendo um aumento dos salários e das vagas disponíveis em setores relacionados ao Mundial.

O salário médio dos profissionais de hotelaria e turismo, por exemplo, subiu 28,2% só de 2013 para 2014. As áreas comercial, saúde e educação (voltada para idiomas e cursos profissionalizantes) cresceram a taxas entre 12% e 15% no mesmo período.

Já os salários dos profissionais de engenharia aumentaram 22,3% nos últimos dois anos.

Para Luís Testa, head de Pesquisa e Estratégia da Catho, os números indicam claramente uma preparação das empresas para o período da Copa.

Vagas

As vagas também aumentaram. De 2013 para 2014, as vagas nas área comercial, engenharia civil, hotelaria, gastronomia (restaurantes) e educação (tradutor) foram de 120 mil para 148 mil - aumento de 23%. O setor de restaurantes liderou com aumento de 77%.

E ainda há tempo para aproveitar: "quem estiver buscando um trabalho, mesmo que temporário, deve se manter atualizado e atento às oportunidades”, diz Luís.

O governo brasileiro ainda trabalha com o número de 3,6 milhões de empregos totais gerados pela Copa do Mundo, estimado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) com a Ernst & Young em 2010.

De acordo com um estudo mais recente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, no turismo serão 48 mil postos de trabalho entre abril e junho - 35,2% do total esperado para o ano.